Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.872,00
    +31,80 (+1,73%)
     
  • BTC-USD

    34.992,98
    +593,00 (+1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    693,47
    -7,14 (-1,02%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.290,50
    +305,00 (+2,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4052
    -0,0934 (-1,44%)
     

Marcos Oli se inspirou em Gloria Groove para viver drag em 'As five': 'É a mesma história'

Luana Santiago
·3 minuto de leitura
Foto: Rodolfo Magalhães/Divulgação

É preciso muito glamour para ser uma drag queen, mas Marcos Oli dá conta do recado. Em ''As five'', o ator de 24 anos dá vida a Miguel, um ator de musical que, nas horas vagas, encarna Michelle Esmeralda, a drag queen que se apresenta como a ''fada madrinha'' de Keyla (Gabriela Medvedovski), já que no spin-off de ''Malhação: viva a diferença" a mãe de Tonico enfrenta problemas de autoestima.

— Recebi uma ligação do produtor no dia do meu aniversário. Ele me chamou para fazer um teste para o a série no dia seguinte com a Gabi. Foi um presente receber essa oportunidade, ainda mais porque eu adoro papéis que me tiram da zona de conforto — relembra o paulistano, que pegou dicas com amigos que se montam para constuir a Michelle para a série do Globoplay: — Eu nunca tinha me montado antes. É muito trabalhoso e demorava umas três horas para me aprontar. Não era só uma maquiagem no corpo inteiro. Também tinha o enchimento, a roupa, o sapato... Era o personagem que mais demorava para ficar pronto (risos). Para saber interpretar bem uma drag, pedi dicas para uns amigos que dançam e costumam se montar. Uma amiga drag me ensinou a dublar, respirar como uma drag.

Além de recorrer aos amigos para entender o universo drag, Marcos buscou inspiração em uma estrela do pop brasileiro para viver a personagem:

— Me inspirei muito na Gloria Groove. Meu personagem (Miguel) é de musical e a Gloria Groove é de musical e também drag. Eles têm basicamente a mesma história. Eu já fui em três shows dela.

Marcos também precisou aprender uma nova arte para ser uma drag queen completa. Durante o período de gravações, que aconteceram no segundo semestre de 2019, o artista praticou stiletto (modalidade em que se dança usando salto alto), dança que ele acreditava que tiraria de letra uma vez que é bailarino desde a infância. Mas não foi o que aconteceu.

— Achei que ia ser tranquilo, mas quando cheguei na aula... (risos). A dança me deu a percepção de como é um corpo de uma drag. A primeira cena que a drag entra é numa festa. Se eu não chegasse com esse corpo ia por tudo abaixo — relata ele.

Felizmente, o ator sustentou seu papel e vem colecionando elogios nas redes sociais. No entanto, não é somente seu trabalho em ''As five'' que vem movimentando a web. Recentemente, o ator se juntou à Maria Bopp, conhecida como Bloguerinha do Fim do Mundo, para gravar um vídeo de humor sobre a dívida histórica dos brancos com os negros. No Instagram, o vídeo já tem mais de um milhão de visualizações.

— Postei o vídeo há um semana e, antes dele, eu tinha três mil seguidores. Agora estou com mais de 40 mil — relata o ator, que não esperava viralizar: — Eu não esperava tudo isso que rolou na internet, não me preparei mentalmente. E quando esse vídeo bombou já veio uma demanda, pessoas pedindo por outros conteúdos. Eu não quero ter essa obrigação ainda, então é por isso que não me considero um influenciador digital. Eu só comecei a produzir vídeos de humor na internet no início da pandemia.

Mesmo sendo um criador de conteúdo há pouquíssimo tempo, Marcos já trabalhou com outro gigante da internet: Felipe Neto. Para o canal do youtuber, o artista escreveu ''Lugar de falha'', onde fala sobre a representatividade dos artistas negros no audiovisual.

— Recebi uma ligação do Felipe pra participar do canal dele, como parte do quadro ''Humor negro''. Ele achou que o que eu já vinha fazendo na internet era parecido com a proposta dele. Eu topei na hora, e a gente foi conversando e alinhando como seria. Eu entendi que precisava falar sobre esse assunto de uma maneira diferente, porque o público do Felipe é diferente. No fim, fui muito bem recebido — relembra.