Mercado fechará em 1 h 26 min

As marcas de eletrônicos que chegaram ao Brasil em 2022

Apesar de ter sido um ano com muitos lançamentos, com mais de 300 novos smartphones das mais variadas empresas, poucas foram as marcas que chegaram ao Brasil em 2022. Elas pretendem ganhar seu espaço e brigar pelo acirrado mercado brasileiro.

Entre elas estão a Hisense e a Oppo, que querem brigar no ramo das TVs e smartphones, respectivamente. A Hisense, inclusive, foi uma das patrocinadoras da Copa do Mundo da FIFA Catar 2022, enquanto a Oppo é uma das principais fabricantes de celulares da atualidade.

Hisense se apresenta ao Brasil, mas produtos só chegam em 2023

Uma empresa chinesa do ramo de eletrodomésticos, e que é a segunda maior fabricante global de TVs, a Hisense já até confirmou parte dos produtos que serão ofertados por aqui. Entre eles, está a chamada Laser TV, que promete entregar cores extremamente precisas e alta qualidade de imagem, ao mesmo tempo que pretende ofertar grande nitidez na imagem, sem reflexos, independente do ambiente em que estiver.

Hisense Laser TV deve ser um dos carro-chefes da empresa no Brasil (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)
Hisense Laser TV deve ser um dos carro-chefes da empresa no Brasil (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)

Porém, ela também deve investir em eletrodomésticos premium, o que inclui geladeira e equipamentos de ar-condicionado. Ainda a respeito de televisores, a marca deve investir nas linhas ULED, QLED e UHD, que devem ser produzidos numa futura fábrica a ser aberta na Zona Franca de Manaus, onde também espera fabricar os condicionadores de ar.

Sobre a Laser TV, como seu nome indica, o funcionamento acontece através de um laser, com um projetor pancromático RGB, que promete tirar distorções de imagem. Infelizmente, seu preço oficial não foi revelado, mas, nos Estados Unidos, seu preço é de aproximadamente US$ 5.000 — cerca de R$ 26.500 sem a adição dos impostos nacionais.

Oppo já trouxe dois smartphones para o país

Em julho desse ano, a Oppo confirmou que passaria a atuar no Brasil. A marca é a quarta maior do ramo de smartphones no mundo, com muita força na Ásia, e como diferencial optou por dar cinco anos de garantia aos modelos vendidos no Brasil.

O primeiro a chegar por aqui foi o Reno 7, que vem para cá importado da China, mas não está claro se eles serão produzidos aqui no futuro. Lançado originalmente em 2019, ele tem tela de 6,43 polegadas AMOLED com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 90 Hz. Seu processador é o Snapdragon 680, aliado a 6 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno.

Oppo Reno 7 é o smartphone mais caro da marca à venda no Brasil até o momento (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)
Oppo Reno 7 é o smartphone mais caro da marca à venda no Brasil até o momento (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Sobre o conjunto fotográfico, ele adota uma câmera traseira principal de 64 MP, uma de profundidade de campo e outra microscópica, ambas de 2 MP, além de uma frontal de 32 MP. Além disso, conta com uma bateria de 4.500 mAh de capacidade e suporte a carregamento rápido de 33 W.

O Oppo A77 4G também veio para o Brasil, modelo contando com bateria de 5.000 mAh de capacidade que promete 15 horas de autonomia e suporta carregamento rápido de 33 W. Sua tela é de 6,56 polegadas com tecnologia IPS LCD e resolução HD+ com taxa de atualização de 60 Hz – isso é curioso, visto que o modelo global tem taxa de 90 Hz.

Assim como o Reno 7, ele traz o Snapdragon 680 e 128 GB de armazenamento, mas conta com somente 4 GB de RAM. Por fim, tem câmera traseira principal de 50 MP e secundária monocromática de 2 MP, enquanto a frontal tem 8 MP.

Além dele, a Oppo já conseguiu autorização da Anatel para trazer o A17 para o Brasil, mas até o momento não existem informações oficiais sobre esse assunto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: