Mercado fechado

Marca de tequila proposta por Elon Musk é contestada por autoridades mexicanas

Rafael Arbulu
Empreendedor bilionário e CEO de diversas empresas, Musk agora parece ter na mira a indústria de produção e comércio de tequila; “Teslaquila” foi proposta pelo executivo em outubro, mas autoridades mexicanas alegam ilegalidade no eventual lançamento da marca

Se tem uma coisa que Elon Musk sabe fazer bem é aplicar a sua versatilidade para arrumar brigas: depois de bagunçar o mercado de automóveis com a Tesla, popularizar missões espaciais com a SpaceX e até construir túneis de alta velocidade para transporte público, o executivo tuitou em 12 de outubro: “Teslaquila chegando logo, logo…”, dando a entender que ele tentaria entrar no mercado de produção e comércio de tequila.

Mas Não tão rápido assim. Segundo o Conselho de Regulamentação de Tequila do México (MCRT), simplesmente lançar uma marca com esse nome poderia causar confusão na mente dos clientes, haja vista que a palavra “tequila” é protegida por legislação de direitos de marca. “Se ele quiser viabilizar a ‘Teslaquila’ como tequila, [Musk] teria que se associar a um produtor autorizado da bebida, além de obedecer a certos padrões e requisitar autorização do Instituto de Propriedade do México”, disse a entidade. “Senão, ele estaria fazendo mau uso da denominação de origem da tequila”. Elon Musk não respondeu ao posicionamento do órgão.

Segundo o site do Escritório de Registro de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO), a Tesla emitiu requisição de registro da marca “Teslaquila”, descrevendo o produto como “licor específico de ágave” e “licor de ágave azul”. Os mesmos pedidos foram preenchidos nos órgãos correspondentes no México, União Europeia e Jamaica. O nome “Teslaquila” dá a entender que a marca seria obediente à Tesla, montadora de carros elétricos de luxo fundada e presidida por Elon Musk.



Fonte: Canaltech