Mercado abrirá em 3 h 2 min
  • BOVESPA

    123.576,56
    +1.060,82 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,39
    -0,17 (-0,24%)
     
  • OURO

    1.817,10
    +3,00 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    37.831,13
    -789,18 (-2,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    925,01
    -18,43 (-1,95%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.133,70
    +27,98 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.054,75
    +8,50 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1808
    +0,0153 (+0,25%)
     

Mapa do universo local revela novos filamentos ligando Andrômeda à Via Láctea

·2 minuto de leitura

Uma equipe internacional de pesquisadores utilizou aprendizado de máquina para criar um mapa do universo local, através de um grande conjunto de simulações de galáxias chamado IllustrisTNG. Como resultado, eles descobriram uma série estruturas filamentares até então desconhecidas, conectando galáxias, incluindo ligando a Via Láctea à sua vizinha mais próxima — a galáxia de Andrômeda. O mapa poderá ajudar nos estudos sobre a natureza da matéria escura.

Primeiramente, os cientistas inseriram um conjunto de galáxias semelhantes à Via Láctea para entender melhor quais propriedades galácticas melhor predizem a distribuição da matéria escura. "Ironicamente, é mais fácil estudar a distribuição da matéria escura muito mais longe [da Terra]", disse o co-autor do estudo Donghui Jeong. Isso ocorre porque o universo distante é uma imagem do passado, quando o cosmos era muito menos complexo. "Com o tempo, conforme a estrutura em grande escala do universo cresceu, a complexidade do universo aumentou, então é inerentemente mais difícil fazer medições sobre a matéria escura localmente", explicou.

Quando o modelo aprendeu a classificar as informações por conta própria, a equipe inseriu os dados reais do catálogo de galáxias Cosmicflows-3, que inclui o movimento e a distribuição de 17 mil galáxias. Com esses dados incluídos, o modelo reproduziu com precisão o Grupo Local de galáxias, incluindo o espaço conhecido como "vazio local", que são regiões aparentemente desocupadas, entre outras estruturas visíveis no mapa.

(Imagem: Reprodução/Hong)
(Imagem: Reprodução/Hong)

Por fim, o mapa gerado mostrou vários filamentos até então desconhecidos, que a equipe planeja estudar mais. O que mais chama a atenção é que alguns deles conectam a nossa Via Láctea a Andrômeda. As duas galáxias provavelmente colidirão daqui a 4,5 bilhões de anos, mas os cientistas ainda não estão muito certos de como isso vai acontecer. O novo mapa poderá responder algumas perguntas e, talvez, sugerir o papel da matéria escura neste processo.

A equipe acredita que pode melhorar a precisão do mapa adicionando mais galáxias, incluindo aquelas que ainda não foram observadas por serem muito fracas, mas poderão ser encontradas pelo Telescópio Espacial James Web. Um artigo apresentando os resultados da pesquisa foi publicado no The Astrophysical Journal.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos