Mercado fechará em 6 h 25 min

O mapa interativo que permite viajar no tempo e ver 'sua cidade' há 600 milhões de anos

·2 minutos de leitura
Print do site, mostrando a localização de Teixeira de Freitas há 600 milhões de anos
É possível escolher o intervalo de tempo que você quer ver

Há 600 milhões de anos, todos os continentes do planeta formavam uma massa única de terra, que depois começou a se separar.

Você já imaginou como era o pedaço de terra onde hoje fica o Brasil antes dos continentes se separarem? E onde ficava sua cidade?

Um mapa feito por paleontólogos que perceberam que essa curiosidade é bem comum foi disponibilizado online e permite ver o desenvolvimento do planeta ao longo de diversas eras geológicas.

Então se você mora em, digamos, Teixeira de Freitas, no interior da Bahia, é possível colocar o nome da cidade na barra de busca e acompanhar o desenvolvimento geológico da região onde hoje fica a cidade ao longo de milhares e milhares de anos, conforme os continentes foram se separando.

Uma barra de opções permite que você veja como era a Terra em diversos momentos do seu desenvolvimento geológico a partir de 750 milhões de anos atrás até os dias de hoje. E, ao colocar o nome de sua cidade, você consegue ver o ponto onde ela se encontrava ao longo dessas enormes mudanças do planeta.

Foto da Terra vista do espaço
A configuração dos continentes nem sempre foi como é hoje

O mapa mostra, por exemplo, que há 260 milhões de anos os continentes já haviam começado a se separar, mas o local onde hoje fica a cidade do Rio de Janeiro ficava no meio de uma grande massa de terra, longe do mar.

Nessa época — o fim do período permiano — a Terra estava perto da maior extinção em massa da história, que varreu do planeta cerca de 90% das espécies.

Informações como essa estão disponíveis no mapa para cada uma das eras geológicas mostradas.

Terra em Transe

A ferramenta interativa foi criada por Ian Webster, um engenheiro que é ex-funcionário do Google, usando os mapas paleontológicos desenvolvimentos pelo geólogo Christopher Scotese.

Webster criou a ferramenta, que você encontra no site Dinosaur Database como uma forma de ajudar as pessoas a aprenderem mais sobre o planeta em que vivemos e entenderem conceitos como o movimento das placas tectônicas (grandes massas de rocha que flutuam sobre o magma e onde os continentes estão localizados).

Os dados científicos são disponibilizados de uma forma que é simples de usar tanto para professores e alunos quanto para qualquer pessoa curiosa pela história do planeta.

"O mapa mostra que o nosso ambiente é dinâmico e pode mudar", disse Webster ao canal de notícias americano CNN.

"A história da Terra é mais longa do que podemos conceber, e o arranjo atual das placas tectônicas e dos continentes é um acidente do tempo. Será muito diferente no futuro, e a Terra pode durar mais que todos nós", afirmou.

.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!