Mantega admite observar preço externo do petróleo

A política do governo em relação ao preço dos combustíveis deve mudar, conforme sinalização do ministro da Fazenda, Guido Mantega, ao admitir nesta terça-feira a jornalistas que a tendência será acompanhar mais de perto os preços do petróleo no mercado internacional. "O preço da gasolina tem que ter uma correlação com o preço do barril de petróleo internacional, porque é o preço que a Petrobras paga quando importa derivados", afirmou. "Nós procuraremos estar mais colados à variação de preços do barril de petróleo lá fora para que não haja, digamos, nenhum prejuízo para a Petrobras."

O ministro, no entanto, evitou dizer quando um novo reajuste para os combustíveis deva ser concedido. "Nós acabamos de dar um aumento para a gasolina, portanto não me parece oportuno falarmos de um novo aumento", afirmou. Ele também se esquivou de avaliar se o reajuste foi "insuficiente". Mais cedo, a presidente da companhia, Maria das Graças Foster, afirmou que os reajustes não foram suficientes para eliminar a defasagem de preços em relação ao mercado internacional. "Isso vocês têm de perguntar a ela."

Mantega disse ainda que o preço da gasolina subiu "bastante" nos últimos cinco anos para a Petrobras, mas não para o consumidor. "O governo usou a Cide para neutralizar", afirmou. "O preço da gasolina nos últimos cinco anos para o consumidor cresceu menos que a inflação. O consumidor foi beneficiado. Mas, para a Petrobras, subiu mais que o IPCA (indicador oficial da inflação no País)."

Segundo ele, o problema para a Petrobras foi que o preço do petróleo no mercado internacional subiu ainda mais. "Então, houve um descolamento entre o preço pago para importar gasolina", admitiu. "Estaremos atentos para que haja, digamos, uma proximidade maior do aumento da gasolina em relação ao preço dos derivados."

Mantega não fez comentários sobre a queda das ações da companhia. Neste pregão, na Bovespa, as ações ordinárias da estatal tombaram mais de 8%. "É renda variável, isso costuma acontecer, uma hora cai", afirmou. "Às vezes o fator é externo." O ministro evitou comentar a política de distribuição de dividendos da companhia. "Eu não falo pela Petrobras. Quem fala é a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, e os demais membros da diretoria", afirmou.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,23420,000,00%
    USDBRL=X
    3,6218-0,0057-0,16%
    EURBRL=X
    0,8926+0,0014+0,16%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    13,12-0,28-2,09%
    PETR4.SA
    3,41-0,13-3,67%
    GOAU4.SA
    8,53+0,12+1,43%
    ITSA4.SA
    2,80+0,08+2,94%
    OIBR4.SA
    3,43-0,10-2,83%
    USIM5.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    19,52+9,52+95,20%
    MWET3.SA
    18,49+8,49+84,90%
    ENMT3.SA
    7,96+1,11+16,20%
    TEKA4.SA
    2,60+0,35+15,56%
    AFLT3.SA
    2,61+0,23+9,66%
    BRGE12.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    0,38-0,16-29,63%
    HBOR1.SA
    3,78-0,92-19,57%
    DTCY3.SA
    0,60-0,13-17,81%
    ALSC1.SA
    1,99-0,31-13,48%
    TXRX4.SA
    1,72-0,13-7,03%
    CTSA4.SA