Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.806,70
    +7,00 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    40.053,30
    +1.687,18 (+4,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.988,00
    -23,50 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0664
    -0,0420 (-0,69%)
     

Manifestantes protestam contra Bitcoin em El Salvador

·2 minuto de leitura
Protesto em El Salvador contra o Bitcoin
Protesto em El Salvador contra o Bitcoin

Nesta terça-feira (20), um grupo conhecido como ‘Bloco da Resistência e Rebelião Popular’ se reuniu em frente a Assembleia Legislativa de El Salvador e exigiu a revogação da Lei Bitcoin, que foi aprovada no país no mês passado.

O grupo de salvadorenhos pediu a revogação da lei que permitirá, a partir de setembro, o uso do bitcoin como moeda legal.

Os membros do grupo, que fazem parte de diferentes sindicatos e associações de estudantes, entregaram o pedido à deputados de oposição ao governo atual.

Segundo eles, a volatilidade do bitcoin e a possibilidade de utiliza-lo para financiar atividades ilícitas são algumas das preocupações. Além disso, os manifestantes dizem que se trata de uma regulamentação “imposta” e “sem consulta ao povo”.

“O Bitcoin facilita a corrupção pública, as operações dos traficantes de drogas, o tráfico de armas e pessoas, extorsões e evasões de impostos. Também provocará um caos monetário, diminuirá salários, pensões e poupança das pessoas”, diz o grupo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“Bitcoin prejudica os mais pobres”

Os manifestantes foram recebidos pelas deputadas do governo de El Salvador, Dina Argueta e Anabel Belloso. Uma das líderes do movimento “resistência” deu uma entrevista falando que a volatilidade do Bitcoin é muito alta.

“Para as pessoas que ganham salário mínimo, em um momento você pode ter U$ 300 em bitcoin e no dia seguinte os U$ 300 podem se tornar U$ 50. Hoje temos visto como o preço da criptomoeda está caindo”, afirmou uma das líderes do grupo de manifestantes.

Os manifestantes fizeram o protesto na manhã desta terça em frente ao Centro Cívico Cultural Legislativo e depois na Assembleia Legislativa, onde entregaram o pedido de revogação da Lei Bitcoin.

Maricela Ramirez, líder do “Bloco da Resistência”, disse que rejeita a Lei do Bitcoin que, em suas palavras, é “trapaceira” e, portanto, exige sua revogação, já que o projeto “prejudica os mais pobres.”

Deputadas recebem manifestantes
Deputadas recebem manifestantes
Exigimos revogação da Lei Bitcoin. Imagem: Reprodução
Exigimos revogação da Lei Bitcoin. Imagem: Reprodução

Lei do Bitcoin

A Lei Bitcoin foi aprovada no mês de junho pelo Congresso do El Salvador, tornando o Bitcoin uma moeda de curso legal no país, isso fez da nação a primeira a adotar uma criptomoeda no mundo.

A lei foi proposta pelo próprio presidente do país, Nayib Bukele, que demostrou seu apoio as criptomoedas, especialmente pelo Bitcoin, na tentativa de “salvar” a economia de El Salvador, que adotou o dólar como moeda oficial.

Depois do movimento, de uma lado vimos notícias positivas sobre a adoção do Bitcoin no país, como por exemplo, pequenos comerciantes adotando a moeda como forma de pagamento. Por outro lado, hoje vemos o outro lado da moeda, as pessoas que são contra a utilização do Bitcoin.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos