Mercado fechará em 32 mins
  • BOVESPA

    123.020,16
    +1.139,34 (+0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.368,82
    +149,56 (+0,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,32
    +0,95 (+1,45%)
     
  • OURO

    1.866,60
    +28,50 (+1,55%)
     
  • BTC-USD

    44.203,98
    -1.729,48 (-3,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.224,11
    +26,20 (+2,19%)
     
  • S&P500

    4.157,73
    -16,12 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    34.315,77
    -66,36 (-0,19%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,49 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.275,00
    -112,00 (-0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4023
    -0,0017 (-0,03%)
     

Mandetta diz que Bolsonaro tinha aconselhamento paralelo sobre pandemia

Eduardo Simões
·1 minuto de leitura
Ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse em depoimento à CPI da Covid nesta terça-feira que o presidente Jair Bolsonaro tinha um grupo paralelo que o aconselhava sobre a pandemia de Covid-19 e que, em reuniões de Bolsonaro com ministros, o vereador pelo Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, filho do presidente, estava presente.

Mandetta disse que, em uma das reuniões com Bolsonaro, viu um esboço de decreto para incluir na bula da cloroquina a indicação do remédio para Covid-19, e que o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, que estava presente no encontro, disse que não poderia ser feito.

Perguntado se a situação da pandemia no Brasil, com mais de 408 mil mortes, poderia ter sido evitada, Mandetta disse que o Brasil poderia ter feito mais por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e poderia ter começado a vacinar contra a doença em novembro do ano passado.