Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.013,29
    -131,15 (-0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Mancini revela bastidores de semana difícil para o Corinthians: 'Tive que abraçar outras funções'

Fábio Lázaro
·4 minuto de leitura


Além de perder 14 jogadores na última semana, contaminados pela Covid-19, alguns membros da comissão técnica, diretoria e funcionários do Corinthians também foram atingidos pelo vírus, o que fez com que pessoas de dentro do clube acumulassem funções nos últimos dias, caso do técnico Vagner Mancini.

- Tivemos perdas acentuadas em todos os setores do clube. Há sete dias, eu, Duílio e Flávio de Oliveira chegamos às sete da manhã no campo para resolver assuntos dessas pessoas - disse o técnico, que se diz satisfeito com a oportunidade de viver o Corinthians de forma mais profunda.

- Tem sido um dia a dia cansativo, mas muito prazeroso. É muito importante viver o clube nessa intensidade. Viver o Corinthians são pra poucas pessoas, e eu sou muito grato por isso. Óbvio que nessa situação tive que abraçar outras funções, como o Duílio e o Flávio de Oliveira também - complementou.

Com um elenco de 39 jogadores reduzido a 17 na preparação para o duelo diante da Ponte Preta, Mancini ainda viu pontos positivos das dificuldades, como a superação que levou a vitória por 2 a 1, de virada.

- É importante você saber que faz parte de um clube desse tamanho, e se doar até a alma. É significativo, porque quando você chega no jogo consegue expressar para os atletas. Hoje foi uma vitória de superação, até pelas dificuldades técnicas, falta de jogador e alterações - concluiu o treinador corintiano.

>> Confira a tabela do Paulistão e simule os próximos jogos

Comparação com a Chape

Guardada as devidas proporções, Vagner Mancini comparou o momento atual do Timão como o desafio de ter assumido o comando técnico da Chapecoense no início de 2017, após o acidente aéreo que matou 71 pessoas, incluindo jogadores, dirigentes e membros da comissão técnica.

- Está sendo um aprendizado muito bacana. Eu vivi isso na minha vida, quando assumi a Chapecoense, após o acidente de 2016. Não tínhamos um corpo de funcionários suficiente para tocar o futebol, aos poucos fomos nos remontando e a cena, de uma forma diferente, está se repetindo agora - externou Mancini

Dinâmica de trabalho

Se adequando a um cotidiano seguro para os funcionários, alguns membros do Departamento de Futebol corintiano estão desempenhando as suas funções em modelo home office, enquanto outros, como o treinador e presidente Duílio Monteiro Alves, têm se deslocado até a sede do Timão para os trabalhos presenciais. Contudo, Mancini reafirma os constantes exames e a importância deles para o trabalho interno no clube.

- Ei, o Flávio de Oliveira, o Duílio e os outros que estão lá, temos nos desafogado para que o nosso dia a dia seja suave em todos os sentidos. Sempre que há exames, e o clube tem feito mais exames, para saber quem pode estar ali, temos um ambiente seguro dentro do protocolo. Mas é importante que tenhamos que arregaçar as mangas e fazer mais. E eu vou sempre seguir assim na minha vida., Não temos que fugir dos problemas. Se dermos as mãos temos chances maiores de superar justos - disse o técnico

E toda essa realidade, de acordo com Mancini, tem ressaltado para ele um ótimo ambiente interno no Corinthians.

- Tem gente que chega ás 7h da manhã e sai a noite pra termos pessoas que estão em home office, como o Roberto de Andrade, Alessandro, André (Dias, supervisor de futebol), fazendo a parte deles à distância, e outros dentro do dia a dia fazendo a parte deles também. Não deixa de ser uma equipe, e mesmo eles estando em casa, é uma equipe forte, que tem gerando uma energia positiva - comentou Vagner.

- Com todos os problemas enfrentados, temos uma energia noa no clube, o ambiente que encontrei no Corinthians não havia encontrado em nenhum lugar, e olha que tenho bastante tempo e futebol. Importante falar isso, porque as pessoas de foram não podem achar isso, achar que é só cobrança, mas temos momento de prazer fazendo o que somos contratados para fazer e ajudando o companheiro - concluiu.

Líder do grupo A do Paulistão, com cinco pontos, o Corinthians volta a jogar no próximo domingo (14), contra o São Caetano, no estádio Anacleto Campanela, pela quarta rodada da competição. Os jogadores em isolamento, por conta da Covid-19, devem seguir fora do jogo, já que a recuperação prevista é de mais uma semana.