Mercado fechará em 45 mins
  • BOVESPA

    100.438,97
    -820,78 (-0,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.267,91
    -439,81 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,45
    -1,40 (-3,51%)
     
  • OURO

    1.904,80
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    12.891,46
    -258,57 (-1,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    256,80
    -6,62 (-2,51%)
     
  • S&P500

    3.384,63
    -80,76 (-2,33%)
     
  • DOW JONES

    27.549,82
    -785,75 (-2,77%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.411,00
    -252,50 (-2,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6451
    -0,0188 (-0,28%)
     

Manaus reclassifica 345 mortes em abril e maio como causadas por coronavírus

·1 minuto de leitura
Aerial view showing graves in the Nossa Senhora Aparecida cemetery in Manaus on June 21, 2020. - The novel coronavirus has killed at least 464,423 people worldwide since the outbreak began in China last December, being Brazil Latin America's worsthit country with 49,976 deaths from 1,067,579 cases. (Photo by MICHAEL DANTAS / AFP) (Photo by MICHAEL DANTAS/AFP via Getty Images)
Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus, em 21 de junho de 2020 (Foto: Michael Dantas/AFP via Getty Images)

Em abril e maio, 345 mortes que aconteceram em Manaus foram reclassificadas e a causa definida foi a Covid-19. A prefeitura da capital amazonense chegou a conclusão após uma investigação baseada em novos critérios epidemiológicos. O anúncio foi feito na última quinta-feira, 1º.

Ao todo, foram investigadas 654 mortes em Manaus. Os óbitos reclassificados aconteceram na primeira onda da doença no estado e tinham sido consideradas como Síndrome Respiratória Aguda Grave Não Especificada.

Manaus teve uma alta no número de casos e especialistas entendem que o estado esteja vivendo uma segunda onda de infecções pelo novo coronavírus. Do total de 345 reclassificações, 18 foram for critério laboratorial, 156 por critério clínico imagem, com tomografia, e outros 171 por critério clínico epidemiológico.

Leia também

A enfermeira Marinélia Ferreira, diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica, explicou que não foram todos os casos que puderam ser analisados novamente. No entanto, em julho, o Ministério da Saúde mudou os critérios para definir mortes por Covid-19 e, por isso, os casos puderam ser reclassificados.