Mercado fechado
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,54
    +0,15 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.878,00
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    13.262,55
    -11,08 (-0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    262,17
    -10,52 (-3,86%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,25 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.708,80
    -78,39 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    23.238,01
    -180,50 (-0,77%)
     
  • NASDAQ

    11.218,00
    +85,25 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7371
    +0,0027 (+0,04%)
     

Manaus pode ter adquirido imunidade coletiva após surto da COVID-19, diz estudo

Natalie Rosa
·2 minutos de leitura

A cidade de Manaus, capital do Amazonas, foi uma das que mais sofreram com a chegada da COVID-19 no país, e isso pode ter gerado a desejada imunidade de rebanho no local. A conclusão vem de um estudo realizado no Brasil, Reino Unido e Estados Unidos, publicado no último dia 21 de setembro.

A imunidade de rebanho, ou imunidade coletiva, é atingida quando uma alta quantidade da população de uma região é atingida por uma infecção, reduzindo a probabilidade de pessoas que não adquiriram a doença serem contaminadas. Segundo o estudo, essa possibilidade pode explicar o motivo de a cidade estar com o número de casos mais estável. Quando essa imunidade acontece, seja pelo número de infecções ou pela vacinação, a taxa de contaminação é de uma pessoa passar a doença a menos de uma, em média, fazendo os casos caírem.

<em>Reprodução: Elchinator/Pixabay </em>
Reprodução: Elchinator/Pixabay

A adoção de medidas do dia a dia contra o coronavírus, como o uso de máscaras e o distanciamento social, também colaborou para que a possível imunidade de rebanho tenha sido alcançada, segundo o estudo. A pesquisa, no entanto, não deixa claro quando foi exatamente que a imunidade coletiva foi atingida. Manaus diagnosticou o primeiro caso de coronavírus no dia 13 de março, com os números aumentando de forma rápida e considerável entre março e abril, atingindo o pico em maio e reduzindo a curva até então.

No novo estudo, os pesquisadores fizeram a medição de anticorpos para o SARS-CoV-2 em amostras de sangue doadas em duas cidades, entre os meses de fevereiro e agosto. Com base nas amostras que apresentaram resultado positivo, cerca de 44% da população de Manaus teria adquirido os anticorpos em junho, e segundo a pesquisa 66.1% acabou sendo infectada pela COVID-19. A fins de comparação, em São Paulo, onde o primeiro caso da doença foi identificado no Brasil, a análise de sangue de doadores indicou que apenas 13.6% da população adquiriu anticorpos.

O estudo ainda precisa passar por mais uma revisão, mas já pode ser conferido completo na plataforma medRxiv.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: