Mercado abrirá em 2 h 28 min

Mama! Ooh! IA do Google te desafia a cantar como Freddie Mercury

Felipe Junqueira

Quem nunca foi ao karaokê e escolheu, entre tantas opções, a música Bohemian Rhapsody? Ou mesmo puxou o refrão em uma mesa de bar, animado com as ótimas companhias presentes? Não há nenhum estudo específico sobre isso, mas as chances de você nunca ter tentado imitar Freddie Mercury na sua vida são bem pequenas.

Agora você pode saber até que ponto sua voz pode se aproximar à do icônico vocalista do Queen. O FreddieMeter, resultado de uma parceria entre Google, UMG e, claro, a banda, permitiu a criação de uma inteligência artificial experimental que mede seu timbre e altura da voz, além da melodia, e compara à do artista para ver se você é fera mesmo na cantoria.

O resultado final vai de 0 a 100, e quanto mais alto, mais próximo de ser um novo Freddie Mercury você está. São quatro músicas para escolher, e não precisa cantar elas inteiras — mas pode ir até o fim, se quiser, claro. O site funciona em Android, iOS e desktop, e não precisa instalar nada. Só permitir acesso ao seu microfone.

Se quiser, você também pode permitir acesso à câmera e gravar a sua performance para compartilhar nas redes sociais. O Google diz que nas versões Android e iOS, nenhum dado é enviado para o servidor. Então, é só escolher Bohemian Rhapsody, Don't Stop Me Now, Somebody To Love ou We Are The Champions e soltar a voz, sem medo de ser feliz.

Ferramenta IA mede sua voz em comparação com vocalista do Queen (Capturas de tela: Felipe Junqueira)

Ainda de acordo com a gigante das buscas, a ferramenta usa um novo tipo de aprendizado de máquina “no dispositivo”. E usa gravações de Mercury e alguns imitadores para comparar as frequências com as suas e dar o resultado final. Como a companhia tem a pretensão de viralizar, você pode compartilhar o resultado nas redes.

Além de fazer a comparação vocal entre sua cantoria com a do líder do Queen, o FreddieMeter também serve para divulgar e buscar doações para o Mercury Phoenix Trust, fundo voltado à questão HIV/AIDS. O instituto foi criado pelos membros sobreviventes do Queen. A ferramenta também celebra os 44 anos da primeira apresentação da banda, em novembro de 1975.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: