Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.554,10
    -48,54 (-0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Arrependido? Malvino Salvador afirma que voto em Bolsonaro foi "pragmático"

O ator Malvino Salvador. Foto: reprodução/Instagram/eumalvinosalvador
O ator Malvino Salvador. Foto: reprodução/Instagram/eumalvinosalvador

O nome de Malvino Salvador foi parar entre os assuntos mais comentados do Twitter neste domingo (22) depois de o ator afirmar que seu voto em Jair Bolsonaro nas últimas eleições foi “pragmático”. Em entrevista à coluna de Monica Bergamo, da “Folha de S. Paulo”, no entanto, ele se mostra crítico em relação ao desempenho do governo federal em temas que lhe são caros, como a cultura e o meio ambiente.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“Não sou daquela coisa de me abster, votar em branco ou nulo. Acho que a gente precisa votar. O meu voto naquele momento foi um voto pragmático, foi uma escolha que eu fiz diante do que eu via, da minha insatisfação com quem poderia entrar no poder [PT]. Mas isso não quer dizer que eu apoie a outra pessoa [Bolsonaro]”, afirmou à publicação.

Leia também:

O próprio Malvino afirma que atualmente há “uma tentativa de vilipendiar a cultura”. “Não entendem que é preciso haver fomento. É preciso se pensar na cultura como se pensa no agronegócio e em outras áreas importantes, é preciso injetar dinheiro. O que me angustia nesses últimos anos é perceber uma violência desmedida e descabida contra ela. Virou a Geni”, disse.

O intérprete critica o tratamento dado, por exemplo, à Lei Rouanet, sempre citada por quem acha que o governo não deve incentivar produções culturais. “Virou como se fosse uma coisa do diabo, onde as pessoas ganham dinheiro adoidado, e não é assim. A gente sabe que existem distorções, sim, é preciso corrigir, mas tem uma infinidade de gente que vive da cultura através de incentivos fiscais”, analisou.

O ex-global também considera a atuação do governo federal insuficiente para proteger a Floresta Amazônica. “A gente sabe que é difícil, que o país é muito grande, a floresta é muito grande. Mas, ao mesmo tempo, quando você chega diante de uma TV e não se mostra comprometido com essas questões, é muito ruim”, afirmou.

Nas redes sociais, muitos internautas reagiram com deboche ao “arrependimento” do eleitor de Bolsonaro.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube