Malásia envia aviões para verificar supostos destroços de avião desaparecido

Kuala Lumpur, 13 mar (EFE).- As autoridades da Malásia informaram nesta quinta-feira sobre o envio de uma frota de aviões para verificar os supostos destroços do avião desaparecidos depois que o governo chinês publicou em um site oficial três imagens captadas por um de seus satélites de "objetos flutuantes".

Um porta-voz das Forças Aéreas da Malásia, que falou em condição de anonimato, disse que as aeronaves estão a caminho do local onde foram descobertos os supostos destroços, segundo o jornal "The Malaysian Insider".

"Um (avião) APMM Bombardier já foi enviado para investigar as supostas informações sobre os destroços descobertos nas imagens do satélite chinês", publicou a equipe de comunicação do ministro da Defesa e ministro interino dos Transportes, Hishammuddin Hussein, no Twitter.

As imagens foram feitas no domingo, dia 9 de março, pela manhã, mas não foram reveladas até hoje pela Administração de Ciência, Tecnologia e Indústria para a Defesa Nacional da China.

Após a publicação das fotos, o responsável pela aviação civil chinesa, Li Jiaxiang, disse que as autoridades ainda não podem confirmar se os destroços encontrados têm relação com o avião desaparecido.

Em seu site, o departamento governamental chinês detalhou que os objetos suspeitos foram localizados "a cerca de 6,7 graus latitude norte e 105,63 graus longitude leste" e que se estendem por uma área "com um raio de 20 quilômetros".

Além disso, especificou que o tamanho dos montes de destroços "é de 13x18 metros, 14x19 metros e 24x22 metros aproximadamente, segundo os cálculos do satélite"

O voo MH370 decolou de Kuala Lumpur, na Malásia, no último sábado às 0h41 locais (13h41 de Brasília da sexta-feira) e tinha previsão de chegada em Pequim seis horas mais tarde.

O Boeing 777-200 tinha combustível suficiente para 7,5 horas de voo e transportava a 227 passageiros, entre eles duas crianças, e uma tripulação de 12 pessoas. EFE

Carregando...