Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.496,21
    -2.316,66 (-2,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.463,26
    -266,54 (-0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,91
    -0,59 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.760,30
    -10,90 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    21.011,42
    -1.972,89 (-8,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    504,88
    -36,72 (-6,78%)
     
  • S&P500

    4.228,48
    -55,26 (-1,29%)
     
  • DOW JONES

    33.706,74
    -292,30 (-0,86%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,81 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.250,00
    -273,25 (-2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1885
    -0,0253 (-0,49%)
     

Maksoud Plaza: hotel é lacrado e tem seus móveis recolhidos

·2 min de leitura
Maksoud Plaza
Hotel se consagrou como uma das principais referências em luxo e hospedagem cinco estrelas no Brasil

(Rodrigo Paiva/Getty Images)

  • Hotel Maksoud Plaza é lacrado e tem móveis recolhidos

  • Decisão judicial também suspendeu a entrega do imóvel aos novos donos

  • Local está com as portas fechadas desde o começo de dezembro, após funcionar por 42 anos

O prédio do hotel Maksoud Plaza foi lacrado e teve seus móveis recolhidos após uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). O local está com as portas fechadas desde a manhã do dia 7 de dezembro, após 42 anos de funcionamento.

Leia também:

Conforme as informações divulgadas pela Folha de S. Paulo, a entrega do imóvel aos irmãos Fernando e Jussara Simões, que o arremataram em 2011 durante um leilão, também foi suspensa até o dia 30 de janeiro de 2022. O pedido foi feito pelos irmãos Claudio e Roberto Maksoud, filhos do fundador do hotel. Além disso, os valores depositados pelos novos donos do prédio passam a ser feitos em juízo, dentro do processo judicial.

Na sentença, o desembargador relembrou que a administradora judicial responsável pelo hotel ficaria com ele até 28 de abril de 2022, em regime de comodato. A entrega antecipada do imóvel resultaria em um acréscimo de R$ 10 milhões no valor de R$ 132 milhões, pago pelos Simões. A antecipação era prevista para janeiro – e não dezembro -, o que justifica a suspensão na ordem de entrega.

"Mostra-se razoável atender apenas em parte o pedido de tutela antecipada recursal, com a suspensão da ordem de entrega do imóvel aos arrematantes até o dia 30 de janeiro de 2022, tempo suficiente para o magistrado de primeira instância ponderar as justificativas das devedoras e decidir sobre o assunto", apontou o desembargador.

Fechamento do hotel

Com dívidas estimadas em R$ 81 milhões, o hotel estava em recuperação judicial desde 2020. O fechamento é atribuído à "crise da Covid-19" e ao "plano de reestruturação do Grupo Hidroservice", controlador do espaço. As informações foram divulgadas em nota assinada pela Hidroservice e pela administradora, a HM Hotéis.

Nas primeiras décadas de funcionamento, o hotel se consagrou como uma das principais referências em luxo e hospedagem cinco estrelas no Brasil. Entre os hóspedes, estão nomes como Frank Sinatra, integrantes dos Rolling Stones, Ray Charles, Catherine Deneuve e Pedro Almodóvar, Margareth Thatcher, entre outros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos