Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.780,60
    +3,20 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.866,05
    +1.326,36 (+4,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    808,49
    +14,16 (+1,78%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.484,48
    +174,72 (+0,62%)
     
  • NIKKEI

    28.927,65
    +43,52 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    14.288,25
    +30,00 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9113
    -0,0085 (-0,14%)
     

Mais uma baixa na MWC21: Xiaomi confirma participação apenas online

·2 minuto de leitura

Mais uma empresa importante acaba de confirmar presença apenas virtual na MWC21, que a GSMA insiste em manter confirmada presencialmente para o final de junho. Agora é a Xiaomi,que segue Samsung, Lenovo e Qualcomm em decisões recentes de retirar a participação física do evento em Barcelona.

Com a justificativa da pandemia de COVID-19, que mantém restrições de viagens e preocupações com relação à segurança e saúde de colaboradores, parceiros e consumidores, a fabricante chinesa confirmou a realização de videoconferências e a retirada do estande presencial da feira em um comunicado oficial:

“Com o objetivo de garantir a saúde e segurança de todos os seus colaboradores, clientes, parceiros e mídia, a Xiaomi decidiu participar apenas de forma virtual na MWC 2021. Apesar da situação muito complicada em que vivemos, a empresa continuará a fortalecer sua presença e colaborar ativamente com todo o setor para apoiar a comunidade global de tecnologia”, justificou a companhia.

Assim, a Xiaomi se junta às já citadas Samsung, Lenovo e Qualcomm, que também desistiram da participação presencial para realizar apenas videoconferências durante a feira, a ser realizada entre os dias 28 de junho e 1º de julho. Algumas empresas já anunciaram que sequer farão anúncios durante o evento, como Ericsson e Nokia, enquanto a Sony deu a entender que pode fazer anúncio em transmissão via internet.

A organização optou por adiar a realização da maior feira de comunicação móvel do mundo para a metade do ano na esperança de que a vacinação avançasse o suficiente para garantir a segurança dos participantes e trabalhadores do evento. No entanto, o ritmo da imunização está mais devagar do que o esperado, o que levou algumas empresas a repensarem sua presença em um evento presencial.

Por enquanto, a GSMA, organizadora da MWC, segue confiante na realização do evento de maneira presencial em Barcelona, com diversos protocolos de segurança e saúde, como uso de máscaras, distanciamento social e aumento na ventilação do ambiente. Bom lembrar que a MWC20 foi cancelada em cima da hora, apesar de várias empresas também terem anunciado a desistência semanas antes do evento, que seria realizado no final de fevereiro do ano passado, ainda no início da pandemia.

Resta aguardar para que, novamente, o evento seja cancelado de última hora, ou pelo menos transformado em uma feira unicamente online, como foi a CES no início de 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos