Mercado fechará em 24 mins
  • BOVESPA

    106.056,26
    -4.730,17 (-4,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.902,57
    -395,63 (-0,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,45
    -0,97 (-1,16%)
     
  • OURO

    1.781,00
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    62.900,37
    -3.780,68 (-5,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.491,10
    -43,54 (-2,84%)
     
  • S&P500

    4.537,59
    +1,40 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    35.514,25
    -95,09 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.190,30
    -32,80 (-0,45%)
     
  • HANG SENG

    26.017,53
    -118,49 (-0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.708,58
    -546,97 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.428,25
    +50,75 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5914
    +0,0718 (+1,10%)
     

Mais de um milhão de salvadorenhos com carteira para operar o bitcoin

·1 minuto de leitura
Estabelecimento comercial que aceita bitcoins em El Zonte, La Libertad, El Salvador (AFP/MARVIN RECINOS)

El Salvador conseguiu, em pouco mais de uma semana, 1,1 milhão de usuários da carteira Chivo, com a qual podem realizar transações em bitcoin, informou o presidente Nayib Bukele na sexta-feira (17).

"1,1 milhão de salvadorenhos já usam a @chivowallet (e ainda não habilitamos 65% dos modelos de telefone)", disse o presidente no Twitter.

A "Chivo Wallet" é uma carteira eletrônica que os salvadorenhos dentro e fora do país podem baixar em seu celular para realizarem transações desta criptomoeda. Cada pessoa que baixa o aplicativo recebe o equivalente a 30 dólares em bitcoin.

Em 7 de setembro, El Salvador se tornou o primeiro país a usar o bitcoin como moeda legal, com a esperança de recuperar sua economia estagnada, dolarizada há duas décadas.

Os salvadorenhos nos Estados Unidos também podem realizar transações em nove cidades onde foram instalados caixas.

Na última quarta-feira, manifestantes expressaram em San Salvador sua rejeição ao bitcoin, por considerar que é uma criptomoeda "volátil".

De acordo com a lei salvadorenha, todos os comércios deverão ter a tecnologia para aceitar transações em bitcoins. No entanto, o dono do negócio pode escolher entre ficar com a criptomoeda ou ativar a opção para que a renda final caia em dólares.

O governo espera que o uso do bitcoin contribua para arrecadar os mais de 400 milhões de dólares de comissões pelas remessas que os salvadorenhos enviam do exterior por meio de entidades financeiras e que equivalem a 22% do PIB.

Cerca de 3 milhões de salvadorenhos vivem fora de seu território, 2,5 milhões deles nos Estados Unidos.

cmm/ll/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos