Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,00
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.799,40
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    37.321,77
    +3.350,37 (+9,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    889,96
    +96,23 (+12,12%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.982,06
    +434,06 (+1,58%)
     
  • NASDAQ

    15.099,75
    +1,75 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1183
    -0,0033 (-0,05%)
     

Mais rico do mundo, dono da Amazon ficou ainda mais rico

·2 minuto de leitura
Jeff Bezos (à esquerda) e sua namorada, Lauren Sanchez, na Índia. (Foto: Pawan Sharma / AFP)
Jeff Bezos (à esquerda) e sua namorada, Lauren Sanchez, na Índia. (Foto: Pawan Sharma / AFP)

O empresário norte-americano Jeff Bezos, fundador e presidente da gigante do comércio eletrônico Amazon, já era o homem mais rico do mundo, mas ele acaba de bater seu próprio recorde – e enriqueceu ainda mais. Segundo a Bloomberg, sua fortuna atualmente equivale a US$ 172 bilhões, ou cerca de R$ 921 bilhões!

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O aumento na fortuna de Bezos se deu devido ao recente crescimento do valor da Amazon, em um cenário de pandemia, em que muita gente está comprando pela internet, já que lojas físicas tiveram que ser fechadas em muitas localidades devido ao coronavírus. Assim, a demanda pelo comércio eletrônico aumentou.

Leia também

Nesse processo, as ações da Amazon se valorizaram, e ampliaram ainda mais o bolso de Bezos. Como a Amazon opera não apenas nos Estados Unidos, todos os mercados afetados pelo coronavírus em que a empresa está, como Brasil, contribuíram para a valorização.

Mas, por outro lado, a Amazon tem crescido como alvo de reclamações e acusações trabalhistas. Na Alemanha, por exemplo, funcionários da empresa promoveram uma greve, afirmando não estarem sendo protegidos suficientemente contra infecções do COVID-19. O sindicato afirma que a empresa tem olhado para o lucro sobre a segurança de seus funcionários.

Em Nova York, a Amazon está sendo processada por funcionários que a acusam do mesmo. Além disso, o RH da empresa estaria promovendo uma “política de silenciamento” em torno do problema do COVID-19 em suas instalações.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos