Mercado fechado

Mais de R$ 3 milhões em produtos da Xiaomi são apreendidos na Black Friday em SP

Rafael Arbulu

Uma megaoperação conduzida pela Secretaria Estadual da Fazenda e Planejamento durante a Black Friday resultou na apreensão de mais de 30 mil produtos da fabricante chinesa Xiaomi em São Paulo. Chegando a aproximadamente R$ 3 milhões em produtos apreendidos, a maior parte das autuações feitas pelas autoridades envolvem comércio irregular dos produtos, feitos tanto em anúncios online (marketplaces digitais) como em lojas físicas.

(Imagem: Reprodução/Secretaria da Fazenda-SP)

Segundo o comunicado da Secretaria, os fiscais percorreram 159 alvos em 45 municípios do Estado de São Paulo, sendo que, destes, 54 não foram encontrados em seus respectivos endereços cadastrados e, consequentemente, terão suas inscrições estaduais suspensas. Quanto àqueles que foram encontrados, mas estavam em situação irregular de ofertas, eles serão todos judicialmente notificados e terão que informar a origem dos produtos. Para o caso de bens importados, a não comprovação de suas origens implicará em recolha do ICMS incidente para o Estado de São Paulo, a encargo do lojista.

A Secretaria não nomeou expressamente a Xiaomi em seu comunicado, entretanto, um álbum de fotos mantido pelo órgão no Flickr claramente mostra caixas e caixas de produtos pertencentes à companhia chinesa: nas imagens mais evidentes, podemos facilmente identificar o smartphone Mi 9T Pro, além de diversos aparelhos da Redmi (uma subsidiária da Xiaomi) e o smartwatch Amazfit, entre diversos outros itens.

(Imagem: Reprodução/Secretaria da Fazenda-SP)

A ação foi executada no último dia 28 de novembro e foi dividida em duas partes: a primeira dedicou-se à autuação de entidades digitais, como lojas online, e resultou envolveu R$ 675 milhões em vendas irregulares de produtos eletroeletrônicos. Na outra, equipes de fiscalização foram a contribuintes que fizeram operações de importação de mercadorias de portos e aeroportos de outros estados, mas que podem ter sonegado cerca de R$ 62 milhões de ICMS aos cofres paulistas.

O processo todo movimentou 180 agentes da força de fiscalização, além de contar com o apoio da Polícia Civil e 16 Delegacias Regionais Tributárias do Estado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: