Mercado fechado

Mais quatro membros da comitiva de Bolsonaro são confirmados com coronavírus

(SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)

Quando o presidente Jair Bolsonaro esteve nos Estados Unidos com uma comitiva, pensava-se que o coronavírus era um problema concentrado na China e em alguns países europeus, como a Itália. No entanto, foi constatado que onze pessoas que viajaram com o presidente testaram positivo para o vírus. 

Segundo a GloboNews, as novas quatro confirmações são de pessoas da equipe de apoio da comitiva, que cuida da parte organizacional da viagem. 

Leia também:

Além deles, também estão com COVID-19 Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação, o encarregado de negócios do Brasil nos Estados Unidos, Nestor Foster, o número dois da Secom, Samy Liberman, o prefeito de Miami, Francis Suarez, a advogada do presidente, Karina Kufa e outros.

O Palácio do Planalto nega que Jair Bolsonaro seja um dos infectados com o vírus. No entanto, foi recomendado que o presidente ficasse afastado. Ainda assim, no domingo, 15, Bolsonaro foi às ruas e cumprimentou populares que estavam nas manifestações a seu favor. Além disso, o presidente também deu entrevista à CNN. 

Nesta segunda-feira, em entrevista à Rádio Bandeirantes, Bolsonaro afirmou que não vai “viver preso dentro do Palácio da Alvorada esperando mais cinco dias com problemas grandes para serem resolvidos no Brasil”. O presidente ainda disse que não convocou o povo para ir às ruas e que, se apertou mão de populares, é direito dele. 

Durante o domingo, enquanto aconteciam manifestações em diversas partes do Brasil, o presidente compartilhou fotos e imagens das aglomerações.