Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.630,47
    -316,61 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Mais plantas, por favor!

·2 minuto de leitura

Durante a pandemia, muitas pessoas se voltaram para o cultivo de plantas, que encheram de vida os cômodos da casa. Batizado de “urban jungle” (floresta urbana), o hobby possui inúmeros adeptos entre os habitantes dos grandes centros urbanos, como o engenheiro André Rebello, de 27 anos, que tem mais de cem espécies em casa.

Administrador de perfis sobre o tema no YouTube e no Instagram (@malucodasplantas), André conta que a sua relação com a flora vem desde a infância e foi um caminho que encontrou para o autocuidado durante o isolamento social:

— Ter plantas em casa tem trazido uma sensação de paz e tranquilidade. Os próprios cuidados com as plantas acabam virando uma forma de terapia, a “plantaterapia”, como chamo. Com tudo que tem acontecido no Brasil, os momentos que tiro para botar a mão na terra e jardinar viram escapes da realidade.

Para aqueles que desejam começar a cultivar plantas em seu apartamento ou casa, a botânica Flávia Nunes avisa que é necessário pesquisa previa da espécie e disponibilidade no futuro:

— Quando for comprar uma planta é preciso buscar informações. Gostou? Use o celular para pesquisar sobre as necessidades da espécie e veja quais cuidados são necessários, e analise também se esses cuidados cabem na sua rotina.

Além da muda em si, a botânica aconselha a aquisição de um par de luvas, pazinha de jardim e tesoura de corte afiado. Flávia afirma ainda que para a planta vingar e ficar bonita, dando flores e frutos, é preciso reconhecê-la como um ser vivo e não apenas um produto comercial:

— Não se pode encarar a planta como objeto. Quando se vai adotar um cachorro, se pesquisa sobre o tamanho, o comportamento e outras características da espécie; com a planta é a mesma coisa. Ela precisa de cuidado pera crescer e ficar bonita.

Para aqueles que desejam começar uma pequena “selva” no lar, o engenheiro André Rebello, que se especializou no cultivo, indicou ao Bela Casa algumas espécies de plantas para as características de cada cômodo.

Sombra — Algumas plantas precisam de ambientes com iluminação indireta, sem incidência direta do sol. Caso contrário, elas não se desenvolvem bem e podem ter doenças ou simplesmente secar pelo sol direto. Seu cultivo é indicado para as áreas externas da residência, como: sala e quarto. Exemplos: Peperômia; Alocasia Black Velvet.

Meia Sombra — São plantas que precisam de cerca de três horas de sol por dia. No resto do tempo, elas podem ficar sob luz indireta, que continuarão se desenvolvendo bem. Estas plantas podem ficar em cômodos em que bata sol em algum momento do dia. Exemplos: Maranta e Costela de Adão.

Sol Pleno — Aqui estamos falando de plantas que precisam de cerca de sete horas de sol direto diariamente sobre elas. Nesse caso, quanto mais sol, melhor. O cultivo pode ser feito em áreas externas, como varanda e quintal. Alguns exemplos são Girassol e manjericão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos