Mercado fechará em 3 h 20 min
  • BOVESPA

    117.903,02
    +705,20 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.246,07
    +400,24 (+0,87%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,12
    +0,36 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.719,50
    -1,30 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    20.065,62
    -22,13 (-0,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,59
    -6,53 (-1,41%)
     
  • S&P500

    3.765,81
    -17,47 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    30.114,54
    -159,33 (-0,53%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.601,25
    -22,50 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0941
    -0,0421 (-0,82%)
     

Mais de 63% das famílias precisaram cortar gastos na pandemia, diz pesquisa

Cerca de 32% da população não possui renda suficiente para arcar com custos básicos de casa. Foto: REUTERS / Pilar Olivares.
Cerca de 32% da população não possui renda suficiente para arcar com custos básicos de casa. Foto: REUTERS / Pilar Olivares.
  • Pesquisa mostra que 63% dos brasileiros precisaram reduzir gastos desde o começo da pandemia de Covid-19;

  • Cerca de 47% da população afirma que saúde financeira é sua maior preocupação no cotidiano;

  • Levantamento mostra que cerca de 32% da população não possui renda suficiente para arcar com custos básicos de casa.

Dados levantados pelo Instituto FSB Pesquisa, a pedido do grupo SulAmérica, apontam que o poder econômico do brasileiro caiu vertiginosamente. Desde o começo da pandemia de covid-19, cerca de 63% das famílias brasileiras tiveram que reduzir seus gastos.

Enquanto isso, aproximadamente 47% da população afirma que a saúde financeira é sua maior preocupação no cotidiano, e quase metade dos brasileiros dizem que estão "apertados" com suas finanças.

Leia também:

A pesquisa feita pelo FSB visa analisar a saúde financeira do país nos últimos 12 meses sob os efeitos danosos da pandemia. Realizado em maio deste ano, o estudo foi constituído por meio de uma amostra de 2 mil entrevistas.

O levantamento da FSB ainda mostra que por volta de 32% da população não possui renda suficiente para arcar com os custos básicos de casa. Outros 28% afirmam que não são capazes de enfrentar despesas inesperadas.

Para tornar a situação da população brasileira mais agravante, o Índice de Preços do Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de novembro do ano passado foi de 0,95%, enquanto o acumulado entre março de 2021 até o mesmo período de 2022 chegou a 10.74%.

*Com informações do iG.