Mercado fechado

Mais de 600 procuradores são promovidos de uma vez e passam a ganhar R$ 27 mil

João de Mari
·2 minutos de leitura
AGU: segurado pode ter de devolver dinheiro se desaposentação for reconhecida
Número de procuradores promovidos neste ano deu um salto em comparação com anos anteriores e chegou a 606 profissionais no topo da carreira (Foto: Agência Brasil)

A Advocacia-Geral da União (AGU) realizou uma promoção em massa, na última sexta-feira (18), deixando quase uma categoria inteira de procuradores no topo da carreira, com salários acima de R$ 27 mil. Foram mais de 600 profissionais promovidos de uma vez. As informações foram relevadas pelo jornal Poder 360.

Com a promoção, de acordo com o jornal, o número de procuradores promovidos neste ano deu um salto em comparação com anos anteriores e chegou a 606 profissionais no topo da carreira. Isso significa que deixaram de ganhar o salário inicial da Procuradoria-Geral Federal, que é de R$ 21 mil, passando a receber o final de R$ 27,3 mil.

Na Procuradoria Geral Federal, 92% dos atuais procuradores, ou 3.489 do total de 3.738, estão no topo da carreira. Para se ter ideia, em 2017, o total era 79 ganhando o máximo. No ano seguinte, 69. Em 2019 eram 83.

Leia também:

Os procuradores promovidos fazem a defesa do governo federal em ações judiciais e extra-judiciais e são responsáveis pela cobrança de recursos que autarquias e fundações têm a receber.

De acordo com a AGU, o dinheiro para as promoções está no orçamento. Porém não informou qual é o custo para os cofres públicos. No entanto, as promoções estavam previstas em lei por dois critérios: antiguidade e merecimento.

Em nota, a Procuradoria-Geral Federal afirmou que "todos os atos relacionados a seus servidores são praticados em estrita observância às disposições legais e regulamentares". Além disso, disse que nos seis primeiros meses do ano de 2020, somente por meio de cobranças judiciais e acordos, recuperou mais de R$ 2 bilhões.