Mercado abrirá em 3 h 43 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,29
    -0,10 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.878,60
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    13.111,47
    -43,90 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,44
    -13,25 (-4,86%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.587,99
    +5,19 (+0,09%)
     
  • HANG SENG

    24.606,54
    -102,26 (-0,41%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.265,00
    +132,25 (+1,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7261
    -0,0083 (-0,12%)
     

Mais de 20 mil candidatos mudaram a declaração de cor para eleição de 2020

João de Mari
·2 minutos de leitura
Em ritmo lento, deputados voltam à Câmara após eleições
Alterações acontecem em um momento em que os partidos têm sido pressionados a ampliar a participação de negros (Foto: Agência Brasil)

Ao menos 21 mil candidatos que disputaram as eleições municipais de 2016, e que irão, neste ano, concorrer novamente a vereador e prefeito de cidades em todo país, mudaram a declaração de cor e raça informada no último pleito. O levantamento foi realizado pelo jornal Folha de S. Paulo, com base nos registros disponibilizados até agora pela Justiça Eleitoral, e publicado nesta sexta-feira (25).

O número equivale a apenas 8% das 260 mil candidaturas que constavam no sistema até a última quinta-feira (24). No entanto, os números devem aumentar, uma vez que as inscrições ainda estão sendo acrescentadas.

De acordo com o jornal, a mudança de cor e raça atinge um a cada quatro candidatos que disputaram as eleições de 2016, ou 26% das candidaturas, e que concorrem novamente este ano. A maior parte das mudanças, ou 36% do total, foi da cor branca para parda.

As alterações acontecem em um momento em que os partidos têm sido pressionados a ampliar a participação de negros, inclusive com a fixação de cota na distribuição dos recursos de campanha proporcional à quantidade de candidatos negros.

Aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para 2022, a medida de cotas nas eleições deve ser aplicada já no pleito deste ano. Neste mês, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, concedeu liminar favorável. O caso, no entanto, ainda será analisado pelo plenário do STF.

Leia também

Há também um movimento contrário nas mudanças de cor e raça. De acordo com o jornal, 30% das alterações de pardo para branco e outros 22% ainda mudaram de pardo para preto ou preto para pardo, o que não causa efeito prático no quesito recursos do fundo eleitoral. Outros 2% mudaram de branco para preto.

Especialistas também chamam atenção para o aumento de pessoas que se reconhecem como pretas e pardas com a maior visibilidade de movimentos contra o racismo, o que interessaria as legendas.

Segundo levantamento do jornal, os partidos que mais tiveram candidatos que mudaram são PSD, com 1.829, MDB, com 1.787 e PP, registrando 1.685. Por estado, são Minas Gerais, com 3.143, São Paulo, 2.308 e Bahia, que contabilizou 2.095 mudanças.