Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    62.090,32
    +2.622,89 (+4,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Mais de 1 mil comerciantes da Amazon devem ser comprados por empresas

·1 minuto de leitura
Compras da Amazon sendo entregues em residência
Empresas agregadoras funcionam com a aquisição de diversas marcas pequenas e independentes que costumam operar dentro de grandes sites

(Getty Images)

  • Empresas agregadoras estão de olho nos comerciantes da Amazon

  • A expectativa é de que mais de 1 mil pequenos negócios sejam adquiridos no ano que vem

  • De acordo com a pesquisa, as empresas topam pagar qualquer valor pelos negócios

As chamadas agregadoras estão de olho nos comerciantes da Amazon. Segundo uma pesquisa realizada pela Fortunet, mais de 1 mil vendedores devem ser adquiridos, no próximo ano, pelas empresas, que já garantiram estar abertas a pagar qualquer quantia por esses negócios.

As empresas agregadoras nada mais são do que aquelas que adquirem diversas marcas pequenas e independentes que costumam operar dentro de grandes sites, como é o caso da Amazon.

Leia também:

As informações divulgadas pelo Insider apontam que a maioria das agregadoras pensa em comprar mais de 15 negócios nos próximos 12 meses. Dentre as categorias mais populares, estão casa e jardim, produtos para bebês e animais de estimação, cuidados pessoais e equipamentos de atividade ao ar livre. Como menos atraentes, foram citados eletrônicos, alimentos, roupas e brinquedos.

"A maioria dos agregadores não existia antes de 2020 e, além disso, eles apenas levantaram capital nos últimos 12 meses. Esse capital só está sendo implantado agora. Haverá mais aquisições no próximo ano em comparação com 2021", disse ao portal Juozas Kaziukėnas, CEO do Marketplace Pulse, que ajudou a Fortunet a completar a pesquisa.

Para chegar aos resultados, 42 agregadoras foram contatadas no mês de junho deste ano e responderam a uma série de perguntas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos