Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.485,47
    +1.101,76 (+3,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Mais de 99% das últimas mortes por Covid-19 nos EUA são de pessoas não vacinadas

·2 minuto de leitura
Mais de 99% das últimas mortes por Covid-19 nos EUA são de pessoas não vacinadas
Mais de 99% das últimas mortes por Covid-19 nos EUA são de pessoas não vacinadas

Quase todas as mortes por Covid-19 registradas nos EUA são de pessoas que não receberam nenhuma dose de nenhum imunizante contra o novo coronavírus. Esses dados demonstram que as vacinas têm cumprido seus objetivos e sendo eficazes na diminuição de mortes e hospitalizações em decorrência da Covid-19, além disso, apontam que o número médio de mortes diárias por lá, que hoje está abaixo de 300, poderia estar próximo de zero se todos os elegíveis tivessem se vacinado.

Dados governamentais, que foram disponibilizados em maio e analisados pela agência de notícia Associated Press (AP), demonstraram que as infecções em pessoas que receberam as duas doses das vacinas da Pfizer e Moderna, ou a dose única da Janssen, representam menos de 1.200 das mais de 853 mil internações por Covid-19 desde o início da pandemia, o que representa cerca de 0,1% do total de hospitalizações.

Leia mais:

Os dados foram fornecidos pelo Centro de Controle de Doenças do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (CDC), que alega não ter examinado esses números de forma detalhada por conta de algumas limitações do levantamento. Uma delas é a diferença entre a forma como os estados compilam essas informações, um exemplo disso é o fato de apenas 45 dos 50 estados relatam internações de emergência por infecções pela Covid-19.

Mortes evitáveis

Mulher enchendo uma seringa com dose da vacina contra a Covid-19
Para a diretora do CDC, a vacinação tem tornado todas as mortes por Covid-19 evitáveis. Imagem: Viacheslav Lopatin/Shutterstock

Contudo, ainda assim, a tendência geral é que os números corroboram a percepção de muitas autoridades de saúde e de especialistas em epidemiologia, de que a campanha de vacinação está funcionando nos Estados Unidos e salvando vidas. Para a diretora do CDC, Rochelle Walensky, as mortes recentes em decorrência da Covid-19 são “particularmente trágicas” já que, segundo ela, a vacinação é tão eficaz que essas mortes seriam “totalmente evitáveis”.

Até o momento, 63% dos americanos elegíveis, que são todos com 12 anos ou mais, tomaram pelo menos uma dose de vacina, sendo 53% já estão totalmente imunizados, um cenário completamente diferente do vivido no Brasil, que só imunizou totalmente cerca de 11% de toda a população, que é menor do que a dos EUA.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos