Mercado fechado

Mais de 12 milhões de ameaças virtuais foram bloqueadas no 3º trimestre de 2021

·2 min de leitura

O dfndr enterprise, solução de cibersegurança da PSafe, bloqueou no terceiro trimestre de 2021 mais de 12 milhões de ameaças de malwares no Brasil. O número representa um aumento superior a 150% em relação ao segundo trimestre.

Entre os principais tipos de malwares detectados pela solução da PSafe estão o Data Stealler, usado para roubo de dados dos usuários; o Banker, que rouba senhas bancárias ou de cartões de crédito; Ransomware, responsável pelos sequestros virtuais; e os malwares de Android, como o Fake Install, que instala aplicativos falsos. e o SMS Fraud, ameaças que registram o celular dos usuários em serviços de SMS pago, causando prejuízo financeiro para as vítimas.

<em>Marco DeMello, CEO da PSafe. (Imagem: Divulgação/PSafe)</em>
Marco DeMello, CEO da PSafe. (Imagem: Divulgação/PSafe)

“Qualquer pessoa que navega na Internet sem proteção está suscetível a este tipo de ameaça: você pode ser infectado ao abrir anexos de remetentes desconhecidos, baixar uma música ou instalar uma extensão desconhecida no seu navegador. Trata-se de softwares aparentemente inofensivos, mas altamente perigosos e que, uma vez instalados, podem gerar danos irreparáveis para uma empresa” alerta o CEO da PSafe, Marco DeMello.

Confira a lista com as principais ameaças detectadas pela solução da PSafe e suas descrições a seguir:

  • Ransomware - Impede o acesso aos arquivos, liberando-os apenas com um resgate;

  • Malvertising - Malwares espalhados por meio de anúncios, possivelmente até em sites confiáveis, sem seu conhecimento;

  • Crypto Jacking - Usa o poder computacional disponível no dispositivo para minerar criptomoedas;

  • Spyware - Atua como espião, procurando informações e as enviando ao atacante;

  • Adware - Exibe anúncios indesejados na tela dos usuários;

  • Trojan - Após instalado, passa o controle do dispositivo externamente para o atacante;

  • Worms - Possui características de replicação automática;

  • Rootkits - Utilizam técnicas para se esconder de soluções de segurança, como os antivírus;

  • Backdoor - São funções ocultas em um software, seja ele malware ou não, que permitem o acesso a um sistema ou aplicação de forma não autorizada.

Proteção

Os ataques virtuais, tanto para empresas quanto para pessoas físicas, podem ser desastrosos. Pensando nisso, a PSafe reuniu uma série de ações que podem diminuir os riscos de infecção digital. Confira elas a seguir:

  • Busque sempre as lojas oficiais;

  • Para ter certeza de que é um app confiável, sempre vá em “Sobre este app” para verificar algumas informações;

  • Desconfie se as permissões solicitadas pelo aplicativo não condizem com as funções que ele exerce;

  • É essencial que as empresas contem com uma a solução contra os vazamentos de dados, como, por exemplo, o dfndr enterprise, que identifica se um app é malicioso antes mesmo da instalação;

  • Pesquise os sites oficiais, verifique quem é o desenvolvedor dos apps que vai baixar em seus dispositivos corporativos, leia as avaliações de usuários e desconfie caso sejam insuficientes ou negativas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos