Mercado fechado

Maioria dos usuários do metaverso abandona espaço após um mês

“Um mundo vazio é um mundo triste”, diz o relatório escrito pela Meta sobre seu metaverso (REUTERS/Dado Ruvic/Illustration)
“Um mundo vazio é um mundo triste”, diz o relatório escrito pela Meta sobre seu metaverso (REUTERS/Dado Ruvic/Illustration)
  • Documentos internos mostram baixa adesão dos usuários ao Horizon Worlds, metaverso da empresa;

  • “Um mundo vazio é um mundo triste”, diz o relatório obtido pelo Wall Street Journal;

  • Objetivo da Meta é alcançar a marca de 500 mil usuários ativos mensais.

Um levantamento interno da Meta, antiga Facebook, revelou que os usuários participam de sua plataforma de realidade virtual Horizon Worlds por apenas um mês, quando decidem abandonar a experiência. Para a Meta, a decisão dos usuários de deixar o metaverso é um duro golpe nos planos futuros da empresa.

A empresa de Mark Zuckerberg estabeleceu uma meta de 500 mil usuários ativos mensais para o Horizon Worlds, plataforma onde os usuários podem explorar mundos criados por outros jogadores, que incluem locais de compras, recreação e entretenimento, mas alcançou menos de 200 mil, apontou os documentos obtidos pelo Wall Street Journal.

Apenas nove por cento dos mundos construídos por criadores são visitados por mais de 50 pessoas, dizem os documentos. “Um mundo vazio é um mundo triste”, diz o texto. A maioria dos visitantes do Horizon geralmente não retorna ao aplicativo após o primeiro mês, aponta o relatório.

Os usuários aparentemente tiveram dificuldade em encontrar áreas de que gostassem, enquanto outros reclamaram que “as pessoas não parecem reais” e que os avatares não têm pernas.

No entanto, a Meta acredita que pode trazer as pessoas de volta à plataforma. “Muitos dizem que retornariam se os pontos problemáticos fossem corrigidos”, dizia um memorando, enquanto outro dizia que os criadores “têm o desejo de trabalhar em tempo integral no metaverso” e que “se houvesse papéis em tempo integral com a compensação certa, alguns criadores fariam da construção do metaverso seu trabalho em tempo integral.”

Um portavoz da empresa afirmou ao Wall Street Journal que o metaverso é um projeto de vários anos, e que a empresa acredita que o mundo virtual é o futuro da computação.