Maioria dos metais fecha em queda com Grécia

A maioria dos contratos futuros de metais básicos negociados na London Metal Exchange (LME) fechou em baixa nesta terça-feira, porém sem quedas drásticas em relação à alta de segunda-feira. Analistas acreditam que os investidores ignoraram o rebaixamento do rating da França, mas estão cautelosos enquanto esperam a decisão dos credores reunidos em Bruxelas, na Bélgica, quanto à liberação de uma nova parcela de ajuda financeira à Grécia.

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde, o contrato de cobre para três meses caiu US$ 22,00 (0,3%) e fechou a US$ 7.782,00 a tonelada. O chumbo recuou US$ 21,00 (0,9%), fechando a US$ 2.170,00 a tonelada. Já o níquel teve alta de US$ 125,00 (0,76%) e encerrou a sessão em US$ 16.600,00 a tonelada. Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato de cobre para dezembro teve baixa de US$ 0,0110 (0,31%) e fechou a US$ 3,5165 a libra-peso.

"O rebaixamento da França pela Moody's foi ignorado, já que não significa um futuro sombrio para a economia francesa", disse o analista da IG Markets Chris Beauchamp. Os investidores se concentraram na reunião de ministros que acontece hoje para discutir o desembolso de uma nova parcela de socorro à Grécia.

Já que os metais básicos são usados em indústrias de todo o mundo, o sentimento do investidor tende a ser mais sensível a notícias econômicas abrangentes. Segundo o analista da BNP Paribas Stephen Briggs, as condições econômicas atuais favorecem os ganhos de metais básicos nas próximas semanas.

"No curto prazo, os preços devem continuar a ser influenciados pelo sentimento acerca da crise na zona do euro, na economia chinesa, no 'abismo fiscal' e na política monetária acomodatícia dos EUA, assim como o movimento do dólar", disse ele. "Vemos o futuro como positivo, com a expectativa de uma queda do dólar. Isso deve aumentar os preços dos metais básicos nas próximas semanas e em 2013." As informações são da Dow Jones.

Carregando...