Maioria das bolsas europeias cai com dados ruins

As principais bolsas da Europa fecharam em leve queda hoje, com dados negativos sobre a Espanha e a Itália. Com o feriado na segunda-feira nos EUA, que deve diminuir os volumes de negociação nos mercados europeus, os investidores optaram por desfazer posições, ignorando a leitura positiva sobre a economia da China. O índice pan-europeu Stoxx 600 perdeu 0,11%, fechando a 287,03 pontos. Assim, na semana houve queda de 0,02%.

A China informou nesta madrugada que sua economia cresceu 7,9% no quarto trimestre de 2012, um pouco mais que o esperado, após avançar 7,4% no terceiro trimestre, conseguindo evitar uma forte desaceleração econômica no fim do ano passado. Entretanto, a taxa de crescimento no ano cheio foi de 7,8%, a mais fraca em 13 anos.

Na Europa, as encomendas à indústria da Itália caíram 0,5% em novembro ante outubro, segundo dados divulgados nesta sexta-feira no site do instituto nacional de estatísticas, conhecido como Istat. Na comparação anual, houve queda de 6,7% nas encomendas em novembro. Na Espanha, as encomendas à indústria caíram 4,9% em novembro ante outubro e recuaram 1,5% na comparação com novembro de 2011.

Outro fator que desanimou os investidores nesta sexta foi a queda na projeção do Banco da Itália sobre o desempenho da economia do país este ano. O banco central agora espera contração de 1,0%, ante uma previsão anterior de encolhimento de 0,2%. Na Espanha, os empréstimos inadimplentes no setor bancário cresceram 2 bilhões de euros em novembro, atingindo o recorde de 191,63 bilhões de euros.

A agenda de indicadores dos EUA trouxe notícias ruins. O índice de sentimento do consumidor, medido pela Reuters/Universidade de Michigan, caiu para 71,3 na leitura preliminar de janeiro, o menor nível em mais de um ano, de 72,9 na leitura final de dezembro. O resultado contrariou as expectativas dos analistas, de aumento para 75,0.

Nesse cenário, o índice DAX da Bolsa de Frankfurt perdeu 0,43%, fechando a 7.702,23 pontos. Com isso, na semana houve queda de 0,17%. Hoje as ações da ThyssenKrupp perderam 1,82%, após as projeções pessimistas oferecidas pelo executivo-chefe da siderúrgica. Do outro lado, o Commerzbank subiu 1,75%, após relatos ontem de que o banco vai demitir 6 mil funcionários.

Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 0,07% e fechou a 3.741,58 pontos. Na semana, entretanto, houve alta de 0,96%. A petroleira Total teve desvalorização de 1,01%, em meio a riscos geopolíticos, com o ataque a um campo de gás na Argélia. O Carrefour caiu 1,37% e a Compagnie de Saint-Gobain registrou queda de 2,20%.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE ganhou 0,36%, encerrando a sessão a 6.154,41 pontos. No acumulado da semana a alta foi de 0,54%. As mineradoras se beneficiaram com os dados da China hoje, com destaque para Evraz (+4,46%) e Rio Tinto (+1,83%). A companhia química Johnson Matthey ganhou 2,66%, após ter sua recomendação elevada pelo Goldman Sachs.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib perdeu 0,19%, fechando a 17.554,13 pontos. Na semana houve alta de 0,36%. Em Madri, o índice IBEX-35 caiu 0,29%, a 8.604,00 pontos. No acumulado da semana, a queda foi de 0,70%. E em Lisboa o PSI-20 registrou alta de 0,59%, a 6.254,82 pontos. Com isso, no resultado semanal a alta ficou em 1,70%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...