Mercado fechado

Maioria da equipe da Standard Life vai trabalhar em casa em 2020

Suzy Waite

(Bloomberg) -- A Standard Life Aberdeen disse à maioria dos funcionários do Reino Unido para trabalhar em casa pelo resto do ano. Outras gestoras de ativos ponderam como a pandemia reformulou o uso futuro dos escritórios.

A empresa disse aos 4,9 mil funcionários do Reino Unido que a maioria não deve esperar o retorno aos escritórios em 2020, de acordo com memorando interno de 2 de junho visto pela Bloomberg. As equipes da Janus Henderson e BNP Paribas Asset Management em Londres também continuarão trabalhando em casa no futuro próximo. A Baillie Gifford planeja retorno gradual dos funcionários nos próximos meses, segundo representantes das empresas.

“Uma das mensagens consistentes em todo o Reino Unido é que, sempre que possível, as pessoas devem trabalhar em casa caso possam, e isso se aplica muito aos serviços financeiros”, disse em comunicado Mike Tumilty, diretor de operações da Standard Life. “Tornou-se evidente que, embora possamos ver alguma redução das restrições de trabalho, não esperamos que esse princípio mude materialmente no futuro próximo.”

Embora existam alguns sinais de empresas que lentamente normalizam as operações com a flexibilização das medidas de isolamento, muitas instituições financeiras ainda mantêm funcionários longe dos escritórios. A DWS, braço de gestão de ativos do Deutsche Bank, HSBC e UBS estão entre os que planejam que a maioria da equipe trabalhe remotamente no futuro próximo.

O diretor-presidente do Barclays, Jes Staley, foi mais longe. Em abril, disse que “a noção de colocar 7 mil pessoas em um prédio pode ser coisa do passado”.

A Standard Life, que possui escritórios em Aberdeen, Bristol, Edimburgo e Londres, planeja que apenas um pequeno número de funcionários retorne aos escritórios nos próximos meses, segundo o memorando.

A equipe da Janus Henderson, a maioria trabalhando em casa, poderá continuar nesse esquema nos próximos meses, segundo um porta-voz. Em pesquisa global recente com funcionários, cerca de 64% disseram que não se sentiam confortáveis em retornar ao escritório em breve, disse o porta-voz. As principais preocupações incluíam cuidados das crianças, uso de transporte público e distanciamento social.

A maioria dos funcionários da Baillie Gifford, com sede em Edimburgo, trabalha em casa desde março e haverá retorno gradual aos escritórios nos próximos meses, disse um porta-voz por telefone na quarta-feira. Dos 1,3 mil funcionários da empresa no mundo todo, a maioria trabalha em Edimburgo, disse o porta-voz.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.