Maioria de bolsas europeias recua após Banco Mundial

As principais Bolsas da Europa fecharam em queda nesta quarta-feira, em sua maioria, pressionadas pela redução na projeção de crescimento da Alemanha e pela forte queda nas vendas das montadoras do continente em dezembro. Uma relatório nada animador do Banco Mundial para a economia global este ano também manteve os investidores cautelosos. Mesmo assim, o índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,02%, fechando a 286,03 pontos.

Na noite passada, o Banco Mundial divulgou seu relatório com novas projeções para a economia global, no qual estima uma crescimento de apenas 2,4% este ano, pouco acima do apontado para 2012. Anteriormente, a previsão era de expansão de 3%. Segundo a instituição, batalhas orçamentárias nos Estados Unidos estão limitando o crescimento em todo o mundo, tornando-se um risco maior para a economia global do que a crise da zona do euro.

Em Berlim, o governo da Alemanha confirmou que tem uma projeção menor de crescimento para 2013, de 0,4%, ante 1,0% anteriormente. Já a Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis informou que os registros de novos carros caíram 16,3% em dezembro na comparação com igual mês de 2011, para 838,428 mil veículos. O número inclui o desempenho em toda a União Europeia, além da Noruega, Suíça e Islândia.

Enquanto isso, nos EUA foram divulgados alguns indicadores positivos. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de dezembro ficou estável ante novembro, em linha com a expectativa dos analistas. Já a produção industrial norte-americana cresceu 0,3% em dezembro, como esperado, atingindo o maior nível desde meados de 2008. E quatro grandes bancos divulgaram balanço, todos favoráveis, de um modo geral.

Nesse cenário, o índice FTSE da Bolsa de Londres perdeu 0,22%, fechando a 6.103,98 pontos. As mineradoras lideraram as perdas, pressionadas pelo relatório do Banco Mundial (Xstrata -3,42%, Anglo American -3,06% e Antofagasta -0,62%).

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX ganhou 0,20% e encerrou a 7.691,13 pontos. Entre os destaques de alta aparecem a empresa química Lanxess, com ganho de 2,98%, e a Adidas, que registrou valorização de 2,60%. A companhia do setor de saúde Fresenius avançou 2,96%, após o banco UBS colocar a ação na sua lista de 40 empresas globais.

Em Paris, o índice CAC-40 avançou 0,30%, terminando a sessão a 3.708,49 pontos. O Société Générale perdeu 2,84%, após ter sua recomendação rebaixada pela corretora Cheuvreux. A montadora Renault recuou 1,86%, em função dos dados sobre as vendas de carro na Europa. A varejista Carrefour avançou 2,22%, antes da divulgação das suas vendas no quarto trimestre do ano passado, marcada para quinta-feira (17).

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib perdeu 0,73%, fechando a 17.339,95 pontos. Em Madri, o índice IBEX-35 caiu 0,23%, a 8.581,10 pontos. E em Lisboa o PSI-20 registrou queda de 0,31%, encerrando a 6.111,28 pontos. As informações são da Dow Jones.

Carregando...