Mercado fechará em 3 h 7 min
  • BOVESPA

    125.704,27
    +1.092,24 (+0,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.196,53
    +286,00 (+0,56%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,26
    +0,61 (+0,85%)
     
  • OURO

    1.799,80
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    39.980,78
    +2.248,34 (+5,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,83
    +8,91 (+0,96%)
     
  • S&P500

    4.399,25
    -2,21 (-0,05%)
     
  • DOW JONES

    34.953,06
    -105,46 (-0,30%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.001,75
    +54,00 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1038
    -0,0046 (-0,08%)
     

Maiores 'jabutis' foram abatidos de projeto da Eletrobras e saldo é positivo, diz Guedes

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - O saldo do projeto de privatização da Eletrobras aprovado no Congresso é "vastamente positivo", disse o ministro a Economia, Paulo Guedes, destacando que o governo conseguiu eliminar as principais distorções incluídas no texto que não tinham relação direta com o objetivo da medida provisória.

"Reformas nunca são perfeitas", disse o ministro durante evento virtual com representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta quarta-feira.

"Os jabutis maiores foram abatidos, foram removidos. Ficaram alguns jabutis que vão se dissolver no ar", afirmou.

Sobre uma das principais críticas feitas ao projeto, o fato de que ele prevê a contratação obrigatória de térmicas a gás, Guedes argumentou que a medida não seria desvantajosa porque os custos da energia no país hoje, com a contratação de termelétricas, são mais elevados.

"O que parece um subsídio na verdade é uma promessa de comprar a menos da metade do preço atual", afirmou Guedes.

Ele ressaltou que o governo continua tendo como meta a liberalização do mercado de energia: "e nós vamos chegar lá".

"Tem grupos defendendo as distribuidoras, tentando impedir a liberalização, mas tem grupos que, vocês conhecem bem, defendendo as indústrias, que são os grandes consumidores de energia, e nós precisamos de energia barata, então vamos ter que desregulamentar mesmo, isso tem que voltar para pauta."

(Por Isabel Versiani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos