Mercado fechará em 1 h 25 min
  • BOVESPA

    116.760,80
    +296,73 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.203,75
    -849,81 (-1,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,10
    +0,49 (+0,93%)
     
  • OURO

    1.843,50
    -7,40 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    30.573,23
    -1.128,60 (-3,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    615,97
    -23,95 (-3,74%)
     
  • S&P500

    3.786,80
    -62,82 (-1,63%)
     
  • DOW JONES

    30.558,39
    -378,65 (-1,22%)
     
  • FTSE

    6.567,37
    -86,64 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.304,75
    -180,75 (-1,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5341
    +0,0233 (+0,36%)
     

A maior superlua de 2020 aparece nesta terça (7)! Como e por que isso acontece?

Patrícia Gnipper
·3 minuto de leitura

Entre os diversos eventos astronômicos que poderemos testemunhar neste ano, está a maior superlua de 2020, que acontece nesta terça (7), durando até o final da noite de quarta (8). Esta é a terceira superlua do ano, e você poderá ver nosso satélite natural muito maior e mais brilhante no céu a partir das 18h50 (horário de Brasília).

Superlua é como popularmente chamamos o que, na astronomia, se chama "lua cheia perigeana". É quando a lua cheia atinge o perigeu, isto é, sua máxima aproximação com o nosso planeta. Já quando ela está em seu máximo distanciamento, ou seja, no apogeu, ela é chamada de microlua. No perigeu, a Lua aparece até 15% maior e sua superfície fica até 30% mais brilhante do que no apogeu. Nesta terceira superlua de 2020 (e a maior de todas), a Lua estará a 359,908 km da Terra. Estima-se que ela aparecerá 7% maior e 15% mais brilhante do que o habitual.

(Foto: Garth Manthe/Unsplash)
(Foto: Garth Manthe/Unsplash)

O termo "superlua" foi cunhado pela primeira vez em 1979 por um astrólogo americano que buscava um jeito popular de descrever os momentos em que o satélite natural fica mais próximo da Terra na fase de lua cheia. Ela completa uma órbita elíptica ao redor do planeta a cada 27,3 dias e, assim, acaba ficando mais próxima ou mais distante de nós à medida que percorre esse trajeto. Quando a Lua cheia fica a pelo menos 363.300 km de distância, isso já é considerado uma superlua; já no apogeu, essa distância média é de 405.400 km.

Comparação de uma superlua com uma microlua (Imagem: Vox)
Comparação de uma superlua com uma microlua (Imagem: Vox)

Essa próxima lua cheia, por sinal, é apelidada no Hemisfério Norte de "Lua Rosa" — mas não se engane: a Lua não estará brilhando em tons de cor-de-rosa no céu, assim como a "Lua Azul" não tem tons azulados e a "Lua de Sangue" não sangra de verdade. O nome Lua Rosa vem de uma flor cor-de-rosa muito comum na América do Norte, chamada Phlox Subulata, que floresce nos primeiros dias da primavera — ou seja, exatamente nesta época do ano, quando é outono por aqui. Então, a primeira Lua cheia da primavera norte-americana ganhou o apelido de Pink Moon, pois ela ilumina os campos de flores cor-de-rosa em meio à noite.

Para admirar a maior superlua de 2020, é só olhar, a partir do finalzinho da tarde e início da noite, em direção ao Leste — torcendo, claro, para o céu não estar encoberto, impedindo a visualização deste belíssimo fenômeno. Depois da superlua de abril, acontecerá uma próxima no dia 9 de maio, mas não tão grande e brilhante quanto a desta semana. Então não perca essa oportunidade — e, se possível, tire muitas fotos para registrar o momento!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: