Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,55
    +0,17 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.769,80
    -0,80 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    55.044,95
    -1.051,39 (-1,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,41
    -63,55 (-4,89%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.111,93
    -573,44 (-1,93%)
     
  • NASDAQ

    13.924,25
    +27,00 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6775
    +0,0018 (+0,03%)
     

Maior processadora alemã de carne avalia venda por US$ 5 bilhões

Eyk Henning
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O bilionário Clemens Tönnies avalia a venda da maior processadora de carne da Alemanha, quase um ano depois do envolvimento da empresa em um escândalo devido a um grande surto de coronavírus em uma de suas unidades.

A família que controla a Tönnies Holding ApS & Co. prepara o processo de venda da empresa de 50 anos, segundo pessoas a par do assunto. O negócio pode ser avaliado em até 4 bilhões de euros (US$ 4,8 bilhões) em um leilão, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas.

A empresa poderia iniciar negociações com potenciais interessados já nas próximas semanas, segundo as fontes. A Tönnies planeja sondar o interesse de um pequeno grupo de concorrentes, como Tyson Foods, JBS e WH Group, a empresa chinesa que comprou a Smithfield Foods em 2013, disseram as pessoas.

Nenhuma decisão foi tomada e não há certeza de que as deliberações levarão à venda, disseram as pessoas. Representantes da Tönnies e Tyson não quiseram comentar. Um representante da JBS não respondeu de imediato a um pedido de comentário, enquanto um porta-voz da WH Group, listada em Hong Kong, ainda não respondeu às perguntas enviadas por e-mail fora do horário comercial.

Clemens Tönnies, CEO do grupo alemão, costuma ser descrito como um bilionário ousado. O empresário foi visto como vilão quando um de seus frigoríficos foi fechado após mais de 1,5 mil trabalhadores testarem positivo para Covid-19.

O surto, o maior da Alemanha na época, gerou críticas sobre a contratação de trabalhadores temporários com baixos salários da Europa Oriental e alegações de que a empresa não preveniu a propagação do coronavírus no local de trabalho. Desde então, a Tönnies lançou uma série de iniciativas para tentar reconquistar a confiança dos consumidores.

A fortuna da família tem origem na industrialização da produção de carne na Alemanha. Clemens Tönnies, que detém cerca de 45% da empresa, e seu sobrinho Robert, com uma fatia de 50%, provavelmente venderão suas participações no caso de um acordo, disseram as pessoas. Clemens há muito tempo domina holofotes e já foi presidente do time de futebol alemão Schalke 04.

A Tönnies tem cerca de 16,5 mil funcionários e gerou aproximadamente 7,3 bilhões de euros de receita em 2019, de acordo com o site da empresa. É a maior processadora de carne da Alemanha, com unidades de abate de suínos e bovinos.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.