Mercado fechado

Maior petroleira da China vê desaceleração da demanda em 2020

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Em 2020, a demanda no mercado que mais importa petróleo no mundo pode crescer a um ritmo que corresponde a apenas metade dos níveis do ano passado sob o impacto da guerra comercial, de acordo com pesquisadores da China National Petroleum Corp.

Com o crescimento econômico da China provavelmente em 6% e o mercado automotivo doméstico ainda fraco, a expansão da demanda continuará a desacelerar, mesmo após a assinatura de um acordo comercial da “fase um” com os EUA, afirmou o Instituto de Pesquisa Econômica e Tecnologia da CNPC em relatório anual na segunda-feira. A estatal é a maior petroleira da China.

“Os impactos negativos na economia dos atritos comerciais EUA-China não serão erradicados no curto prazo”, disse a CNPC no relatório. As duas maiores economias do mundo devem traçar uma linha sob sua disputa esta semana com a assinatura de um acordo provisório em Washington.

A demanda aparente da China por petróleo - que corresponde à produção mais importações líquidas e alterações nos estoques - pode crescer cerca de 2,4% este ano, para 671,3 milhões de toneladas, disseram os pesquisadores, em comparação com um aumento de 5,2% em 2019. Seria o ritmo mais lento desde a crise financeira global de 2008, de acordo com dados da BP, e um potencial obstáculo para os preços globais, dado o peso da China no mercado.

To contact Bloomberg News staff for this story: Feifei Shen Beijing, fshen11@bloomberg.net;Dan Murtaugh Singapore, dmurtaugh@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Ramsey Al-Rikabi, ralrikabi@bloomberg.net, Jason Rogers, Andrew Janes

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.