Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.962,59
    -104,41 (-0,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Maior mineradora de Bitcoin do mundo está a beira da falência

Homem carregando ASIC, equipamento de mineração de Bitcoin.
Homem carregando ASIC, equipamento de mineração de Bitcoin.

Em formulário publicado pela Core Scietific nesta quarta-feira (26), a mineradora afirmou que estará pausando pagamentos devido à falta de dinheiro em caixa e que está até mesmo considerando declarar falência pela situação em que se encontra.

No momento, a Core Scientific é a maior empresa pública de mineração de Bitcoin. Segundo dados do Hashrate Index, ela possui 5% da taxa de hash total do Bitcoin, ou seja, a empresa minera 1 a cada 20 blocos.

Core Scientific é a maior mineradora pública de Bitcoin do mundo. Fonte: Hashrate Index.
Core Scientific é a maior mineradora pública de Bitcoin do mundo. Fonte: Hashrate Index.

Listada na Nasdaq, as ações da Core Scientific estão operando em queda de 76% na pré-abertura dos mercados nesta quinta-feira (27), mostrando o pânico dos investidores após o comunicado da empresa.

Core Scientific suspende pagamentos e pode declarar falência

Como destaque, o formulário da Core Scientific enviado a SEC aponta que, nesta quarta-feira (26), possuía 24 bitcoins (R$ 2,6 milhões) e US$ 26,6 milhões (R$ 142 milhões) em caixa. Indo além, confirma que está com problemas de liquidez e que não estará honrando suas dividas.

“O Conselho decidiu que a Empresa não fará pagamentos com vencimento no final de outubro e início de novembro de 2022 em relação a vários de seus equipamentos e outros financiamentos, incluindo suas duas notas promissórias ponte.”

Segundo a mineradora, as causas desta situação estão ligadas a queda prolongada do Bitcoin, aumento nos custos de eletricidade, maior concorrência no setor, bem como perdas ligadas a Celsius — empresa que prometia lucros, mas deixou milhares de investidores no prejuízo.

Seguindo seu texto, a Core Scientific aponta que está até mesmo considerando declarar falência caso sua situação financeira não melhore em breve. Dando mais detalhes, aponta que pode ficar sem dinheiro ainda em 2022.

“Além disso, a Empresa pode buscar fontes alternativas de financiamento de capital ou dívida, adiar investimentos ou avaliar potenciais vendas de ativos e, potencialmente, buscar alívio sob as leis de falência ou insolvência aplicáveis”, aponta o documento da Core Scientific.

“No caso de um processo de falência ou insolvência, ou reestruturação de nossa estrutura de capital, os detentores de ações ordinárias da Companhia podem sofrer uma perda total de seu investimento.”

Com investidores temendo a falência de mais esta empresa, as ações da mesma despencaram antes mesmo do mercado abrir. Antes cotadas a US$ 1,01, agora tais ações já estão sendo negociadas por US$ 0,24 antes mesmo da abertura do mercado, ou seja, uma queda de 76%.

Por fim, vale lembrar que a Core Scientific havia vendido US$ 100 milhões em ações em julho deste ano, já em início de uma crise. Além disso, outras mineradoras também estão em apuros, buscando soluções para sobreviver a este momento de queda do Bitcoin, mas de aumento na concorrência.

Fonte: Livecoins

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.