Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.703,53
    -1.003,49 (-1,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Maior fábrica de scooters do mundo vai empregar apenas mulheres

·3 minuto de leitura

10 mil mulheres, distribuídas desde os cargos mais simples até o alto escalão, formarão a recém-anunciada Ola Futurefactory. A nova empresa, que terá sede na Índia, será um braço da Ola Electric, maior fabricante de scooters do mundo. O anúncio foi feito na conta oficial do Twitter de Bhavish Aggarwal, CEO da companhia.

“Orgulho de compartilhar que a Ola Futurefactory será administrada INTEIRAMENTE por mulheres, mais de 10.000 em escala real! Será a maior fábrica só de mulheres do mundo! Conhecemos nossa primeira leva, e ficamos inspirados pela paixão delas”, postou o executivo.

O blog oficial da empresa fez o anúncio com uma citação histórica de Swami Vivekananda, considerado um dos responsáveis pela introdução do Yoga no Ocidente.

“Não há chance para o bem-estar do mundo a menos que a condição das mulheres seja melhorada. Não é possível que um pássaro voe com apenas uma asa”.

A frase de Vivekananda ilustra o primeiro passo do planejamento da empresa de criar uma força de trabalho mais inclusiva e oferecer oportunidades de crescimento econômico às mulheres em todos os níveis. “Oferecer oportunidades econômicas às mulheres melhora não apenas suas vidas, mas também a de suas famílias e, na verdade, de toda a comunidade”, pontuou o CEO.

#JoinTheRevolution

Imagem: Divulgação/Ola Electric
Imagem: Divulgação/Ola Electric

Bravish Aggarwal se mostrou comprometido não apenas em dar paridade econômica às mulheres, que agora dirigirão de forma exclusiva a Ola Futurefactory. Ele também convocou, por meio da hashtag #JoinTheRevolution (Junte-se à Revolução, na tradução para português), outras empresas a promoverem o crescimento do setor na Índia.

Segundo a companhia, estudos mostram que oferecer oportunidades iguais de trabalho às mulheres pode aumentar o PIB da Índia em 27%. “A Ola Futurefactory é um passo em direção à nossa visão do futuro do mundo - um mundo com mobilidade limpa, uma pegada de carbono negativo e uma força de trabalho inclusiva. Continuaremos a tomar medidas que nos deixem mais perto de alcançar cada um deles”, concluiu.

A "revolução" esperada pela Ola com a Futurefactory também será composta pela presença de 3 mil robôs, que darão suporte ao trabalho das 10 mil mulheres. Eles serão importantes para ajudar o ousado plano de fabricar 10 milhões de scooters elétricas por ano, o que representa, em números puros, uma a cada dois segundos. O apoio financeiro também virá de dois parceiros: o SoftBank Group e a Tiger Global.

Uma das scooters que serão produzidas na nova planta será a recém-lançada Ola S1. Ela terá autonomia de 181 quilômetros, velocidade máxima de 115 km/h e preços que serão de, no máximo, R$ 10 mil, menos do que muitas motocicletas a combustão. A Ola S1 está em pré-venda na Índia e suas entregas começam em outubro. Não há previsão da chegada dos modelos ao Brasil e outros países.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos