Mercado fechará em 1 h 14 min
  • BOVESPA

    112.268,28
    -47,88 (-0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.519,01
    -255,90 (-0,47%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,97
    -0,71 (-0,89%)
     
  • OURO

    1.939,70
    -5,90 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    23.183,74
    -414,57 (-1,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,87
    -13,00 (-2,42%)
     
  • S&P500

    4.035,86
    -34,70 (-0,85%)
     
  • DOW JONES

    33.880,00
    -98,08 (-0,29%)
     
  • FTSE

    7.784,87
    +19,72 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    22.069,73
    -619,17 (-2,73%)
     
  • NIKKEI

    27.433,40
    +50,84 (+0,19%)
     
  • NASDAQ

    12.038,75
    -183,50 (-1,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5589
    +0,0127 (+0,23%)
     

Maior clarão espacial da história do Universo é observado pelos astrônomos

Clarão visto após explosão no espaço (Foto: Nasa)
Clarão visto após explosão no espaço (Foto: Nasa)
  • Foram detectados fótons com mais de 100 milhões de eletrón-volts;

  • Explosão aconteceu a 2,4 bilhões de anos luz da Terra, a mais próxima já registrada;

  • Fotografia do clarão foi divulgada pelo site Astronomy Picture of the Day.

O maior clarão da história do Universo foi divulgado nesta segunda-feira (15) através do site Astronomy Picture of the Day, ou Fotografia de Astronomia do Dia em tradução livre. O clarão foi resultado de uma intensa explosão de raios gama (GRB) no dia 9 de outubro.

Designado como GRB221009A, a erupção de raios gama aconteceu a 2,4 bilhões de anos-luz da Terra. Isto quer dizer que na verdade a explosão aconteceu há cerca 2,4 bilhões de anos, com a luz resultante dela demorando esse tempo todo para chegar até nós. Surpreendentemente, essa é uma das explosões de raio gama mais perto de nosso planeta já registrada.

O momento foi capturado pelo Telescópio Espacial de Raios Gama Fermi, que detectou fótons com mais de 100 milhões de elétron-volts. Em comparação, os fótons de luz visível tem uma energia de cerca de 2 elétron-volts.

Não se sabe o motivo de tamanha explosão, mas suspeita-se que ela tenha acontecido pelo colapso de uma estrela várias vezes maior que o Sol. Essas estrelas, ao chegarem no fim de soa vida, explodem em supernovas e depois podem formar um buraco-negro.

Erupções de raios gamas são explosões energéticas no sistema solar que acontecem em uma escala extremamente breve no tempo cosmológico, variando entre menos de um segundo a até alguns minutos.

Elas são consideradas as explosões mais poderosas do Universo, liberando no pouco tempo de duração energia equivalente a que o Sol emite em 10 bilhões de anos. As mais breves acontecem através da formação de buracos-negros, ou quando um deles devora uma estrela. Já as mais "longas" tem relações com hipernovas, quando uma estrela enorme (maior de 10 sóis) chega ao fim de sua vida e se torna um buraco negro.