Mercado abrirá em 4 h 27 min

Maia ameaça dar aval para impeachment de Bolsonaro, dizem aliados

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Brazils President Jair Bolsonaro greets President of Brazil's Lower House Rodrigo Maia during an inauguration ceremony of the new Communications Minister Fabio Faria (not pictured) at the Planalto Palace, in Brasilia, Brazil June 17, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Brazils President Jair Bolsonaro greets President of Brazil's Lower House Rodrigo Maia during an inauguration ceremony of the new Communications Minister Fabio Faria (not pictured) at the Planalto Palace, in Brasilia, Brazil June 17, 2020. REUTERS/Adriano Machado

Aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmam que o parlamentar tem ameaçado dar aval ao início de um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. O mandato de Maia termina na próxima segunda-feira.

O jornal Folha de S. Paulo ouviu a informação de três políticos próximos a Maia, além de outro parlamentar que afirmou ter ouvido esse relato do ministro de Governo, general Luiz Eduardo Ramos.

Leia também

Rodrigo Maia tem reclamado da interferência do Palácio do Planalto na disputa pela presidência da Câmara. Bolsonaro tem oferecido cargos e liberação de emendas em troca de apoio a seu candidato, o deputado Arthur Lira (PP-AL), líder do Centrão.

Cabe ao presidente da Câmara decidir pelo início do processo de impeachment. Em seguida, vai para votação e pelo menos dois terços dos deputados (342) devem autorizar a abertura do processo.

Atualmente, mais de 60 pedidos de afastamento do presidente já foram protocolados na Casa.

Maia negou que tenha ameaçado dar início ao processo de impeachment.

Segundo parlamentares, o presidente da Câmara está irritado com a possibilidade de o DEM sair do bloco de apoio do seu candidato, deputado Baleia Rossi (MDB-SP), e ir para o bloco de Lira.

Na quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro ironizou os pedidos de impeachment contra ele, afirmando que “não dão em nada” e que representam uma “tentação na sociedade”.

“Nós continuaremos nesta cadeira até o final de 2022, tenho certeza disso. Não adianta falar que tem 40 processos de impeachment, Roberto Jefferson, porque se juntar todos não dá nada, absolutamente nada. Propostos por partidos de esquerda como PT, PCdoB, PSOL, ou até mesmo a OAB, não levam a lugar nenhum a não ser para causar transtorno e tentação na sociedade”, declarou em um vídeo que circula na internet.