Mercado abrirá em 6 h 34 min

Mãe de Miguel vai à delegacia acompanhar depoimento da ex-patroa: 'ela acabou com a vida do meu filho e da minha família'

Menino Miguel morreu aos 5 anos após cair do nono andar de um prédio em Recife - Foto: Reprodução

Quase um mês depois da morte de Miguel que chocou o país, Sari Corte Real, que estava responsável pelo menino de 5 anos quando ele caiu do nono andar de um prédio de luxo em Recife, foi à delegacia prestar depoimento nesta segunda-feira (29).

Geralmente, a Delegacia de Santo Amaro abre às 8h, mas a Corte Real chegou pouco antes das 6h para prestar depoimento. Na porta do local, Mirtes Renata Santana de Souza, mãe do menino, aguardava a ex-patroa.

“Eu vim para dar os parabéns a ela, para ela me escutar. Desde o dia que eu perdi meu filho, eu não tenho saúde. Ela não só acabou com a vida do meu filho, mas com a minha e da minha família. Ninguém tem mais saúde, estamos dormindo a base de remédio. Principalmente eu, só vem na minha cabeça a cena do meu filho no chão, estirado, por culpa dela", disse em entrevista à Globonews.

Leia também:

Mirtes ainda questionou a atitude de Mirtes de prestar depoimento nas primeiras horas da manhã.

"Ela está com medo de quê, que não pode esperar a delegacia abrir, como todos os outros esperam? Todo mundo espera a delegacia abrir para resolver alguma coisa", questionou a mãe de Miguel. "Eu não queria, mas eu tinha que vir para dizer uma verdade na cara dela. E vou ficar aqui até ela sair", garantiu Mirtes.

No dia da morte de Miguel, Sari Corte Real foi autuada em flagrante por homicídio culposo, mas pagou a fiança e responde em liberdade. Imagens do circuito interno do prédio mostram que a ex-patroa de Mirtes deixa o garoto sozinho em um elevador, enquanto ele perguntava pela mãe, que tinha descido para passear com os cachorros de Corte Real.

De acordo com a perícia, Miguel caiu de uma altura de 35 metros no último dia 2 de junho. O prazo para encerrar as investigações da Polícia se encerra nessa semana.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Entenda o caso

Migue acompanhava a mãe, Mirtes Renata de Souza, ao trabalho no apartamento dos patrões, já que as creches em Recife estão fechadas por causa da pandemia. Mirtes teve de descer para passear com o cachorro da patroa, e deixou o filho aos cuidados desta. O menino teria começado a chorar enquanto a patroa fazia as unhas com uma manicure e entrou no elevador do prédio, no 5º andar, para buscar a mãe.

Sarí Côrte não impediu o menino de entrar no elevador e o deixou sozinho. Imagens do circuito de câmeras de segurança mostram que a patroa de Mirtes fala com o menino no elevador e parece apertar um dos botões. De acordo com a investigação, o menino desceu no 9º andar, escalou uma grade na área dos aparelhos de ar-condicionado e caiu. O caso aconteceu no último dia 02.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.