Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,16
    -0,50 (-0,60%)
     
  • OURO

    1.798,50
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    58.884,80
    -1.506,42 (-2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.406,02
    -68,31 (-4,63%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.612,75
    +25,50 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4242
    -0,0299 (-0,46%)
     

Maduro condena 'xenofobia' contra venezuelanos no Chile

·2 minuto de leitura
O presidente venezuelano, Nicolas Maduro. (AFP/Handout)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, condenou nesta segunda-feira (27) o violento ataque a migrantes venezuelanos sem documentos no norte do Chile e anunciou um plano para repatriá-los de volta ao seu país.

“Por meio da chancelaria, procedemos imediatamente a um plano de 'Retorno à Pátria' de todos os venezuelanos que estão em Iquique, Chile, perseguidos, atacados pela xenofobia de uma direita pinochetista”, declarou Maduro em discurso transmitido pela televisão estatal.

“Essa é a direita pinochetista, xenófoba, discriminatória que persegue nossos irmãos e irmãs!”, acusou o presidente venezuelano.

Cerca de 3.000 pessoas protestaram em Iquique no sábado - com bandeiras chilenas e cartazes com slogans anti-imigração - contra a crescente chegada de migrantes à cidade.

Em meio a gritos xenófobos, um grupo queimou pertences de migrantes que acampavam nas ruas de Iquique e que a polícia impediu de serem espancados pela multidão.

O protesto em Iquique ocorreu depois que, na sexta-feira, a polícia despejou uma praça onde famílias de migrantes com crianças, em sua maioria venezuelanas, acampavam em meio à crescente crise migratória naquela área.

Maduro indicou que ativou o plano "Retorno à Pátria" - lançado em agosto de 2018 para facilitar o retorno voluntário dos migrantes - para as pessoas que desejam voltar do Chile.

“Vamos responder por tudo, por estes compatriotas que estão em Iquique, respondemos cabalmente”, sublinhou o mandatário chavista.

Milhares de venezuelanos sem documentos cruzam a fronteira entre a Bolívia e o Chile, fugindo da crise em seu país, que Maduro atribui às sanções econômicas dos Estados Unidos contra a Venezuela.

Os migrantes fazem a travessia por passagens inóspitas, colocando suas vidas em risco. Cerca de 11 migrantes morreram nesta rota no ano passado.

O Ministério Público chileno abriu uma investigação sobre os ataques ocorridos no protesto, condenados pela Unicef e pela Acnur. O próprio presidente do Chile, Sebastián Piñera, descreveu o ocorrido como uma "agressão brutal".

atm/jt/lm/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos