Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,45
    +0,57 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.863,40
    -2,50 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    40.285,66
    +1.278,66 (+3,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,09
    +39,25 (+4,05%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.437,12
    +275,32 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    14.156,50
    +31,75 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1439
    +0,0124 (+0,20%)
     

Maduro aguarda para julho mais 5 milhões de vacinas anticovid para a Venezuela

·2 minuto de leitura
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em 21 de março de 2021 no Palácio de Miraflores, em Caracas

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse neste domingo (30) que "espera" receber em julho mais cinco milhões de doses de vacinas anticovid-19 através do mecanismo Covax, em meio a uma virulenta segunda onda da pandemia.

"O sistema Covax nos prometeu mais de 5 milhões de doses de vacinas para o mês de julho. Estamos à espera de que se cumpra o cronograma que tem sido falado com o sistema Covax", disse o presidente em declarações transmitidas pela TV estatal.

Maduro reiterou que "o dinheiro já está depositado" para "pagar as vacinas", referindo-se ao pagamento de 120 milhões de dólares para cinco milhões de pessoas através do mecanismo Covax da Organização Mundial da Saúde (OMS), que busca garantir vacinas contra a covid-19 para países em desenvolvimento.

A Organização Pan-americana da Saúde (Opas), escritório das Américas da OMS, tinha antecipado em 12 de maio que a Venezuela poderia receber em junho vacinas da Johnson & Johnson através do mecanismo Covax, a depender da disponibilidade.

"Nós estamos buscando a (vacina) da Johnson & Johnson, a Janssen. Foi essa que pedimos ao sistema Covax", afirmou o presidente.

A vacina da Johnson & Johnson é aplicada em dose única e não exige refrigeração extrema.

A Venezuela, com 30 milhões de habitantes, enfrenta uma virulenta segunda onda da pandemia que superlotou os centros de saúde do país. Acumula cerca de 230.000 casos confirmados e 2.500 mortes, segundo cifras oficiais, questionadas por organizações como a Human Rights Watch por considerar que omitem uma elevada subnotificação.

No sábado, o país ampliou sua campanha de imunização com vistas a cumprir a meta de 22 milhões de vacinados até dezembro e alcançar a "imunidade de rebanho", disse na sexta-feira o ministro da Saúde, Carlos Alvarado.

Maduro também comemorou a chegada ao pais de 500.000 vacinas Sputnik-V, da Rússia, um de seus principais aliados comerciais, frente ao que chamou de segunda fase da vacinação, que inclui adultos idosos e pessoal de saúde.

A Venezuela recebeu até o momento as vacinas russas Sputnik V e as chinesas do laboratório Sinopharm, e participa de testes de outra candidata russa, a EpiVac Corona.

atm/pgf/dga/mvv