Mercado abrirá em 1 h 29 min

Madri anuncia plano de 3,7 bilhões de euros para setor automotivo

·2 minutos de leitura
O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, depois de sessão plenária no Parlamento para debater estado de emergência, em Madri, em 3 de junho de 2020
O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, depois de sessão plenária no Parlamento para debater estado de emergência, em Madri, em 3 de junho de 2020

O governo espanhol anunciou neste domingo (14) um plano de 3,7 bilhões de euros (cerca de US$ 4,2 bilhões) para revigorar o setor automotivo, um pilar de sua economia e gravemente afetado pela pandemia de coronavírus e pelas mudanças no mercado.

"O governo trabalhou em conjunto com o setor para antecipar um plano abrangente que responda às suas necessidades e também sirva para fazer uma transição ecológica urgente", disse o chefe de governo, Pedro Sánchez, em um pronunciamento oficial na televisão.

O plano, que será apresentado oficialmente na segunda-feira (15), "será apoiado por um orçamento de 3,75 bilhões de euros", acrescentou o líder da coalizão de esquerda no poder na Espanha.

Sánchez adiantou que o plano incluiria "financiamento para a renovação da frota de veículos, especialmente incentivando veículos elétricos", além de estímulos à pesquisa e à inovação e mudanças tributárias para tornar o setor mais competitivo.

A promoção de veículos elétricos está alinhada com o plano de transição ecológica do governo, um de seus principais projetos que, entre outras medidas, deseja que todos os novos veículos tenham "zero emissões" até 2040.

Sánchez também anunciou a apresentação na quinta-feira de um plano semelhante para estimular o setor do turismo, que representa 12% do PIB nacional e que foi severamente afetado pela crise da saúde.

A indústria automotiva é um pilar fundamental da economia na Espanha, segundo fabricante europeu depois da Alemanha. Representa 10% de seu PIB, um quinto das exportações e emprega direta ou indiretamente dois milhões de pessoas, lembrou Sánchez.

O momento delicado para o setor em todo o mundo, devido à queda na demanda e à transição para uma mobilidade mais sustentável, foi agravado pela pandemia do novo coronavírus que, no caso espanhol, interrompeu os centros de produção por semanas.

Recentemente, a fabricante japonesa Nissan anunciou o fechamento de suas fábricas em Barcelona (nordeste), da qual dependem mais de 20.000 empregos diretos e indiretos, e a fabricante americana Ford apresentou um plano de demissão voluntária para cortar 350 empregos em sua fábrica em Valência (leste).

Outros países lançaram iniciativas de ajuda ao setor: a França apresentou um plano de mais de 8 bilhões de euros (9 bilhões de dólares) e a Alemanha anunciou bônus para a compra de veículos elétricos dentro de um programa de reativação econômica de 130 bilhões de euros (145 bilhões de dólares).