Mercado abrirá em 1 h 29 min

Macs com processadores ARM terão desempenho promissor, aponta benchmark

Rafael Arbulu
·2 minutos de leitura

A Apple anunciou, durante a WWDC 2020, que abandonaria a sua parceria com a Intel para priorizar a fabricação de processadores próprios para seus computadores. E assim, confirmando rumores, nasceu o Apple Silicon on ARM. No último final de semana, conforme especialistas começaram a receber os kits de desenvolvimento com o novo processador, também apareceram os primeiros resultados de benchmark do componente.

De acordo com o Geekbench, que reúne testes feitos por várias aplicações de benchmark, os novos componentes têm uma média de pontuação entre 700 e 800 nas avaliações single core e 2.582 a 2.962 na avaliação multicore. É importante ressaltar, porém, que os testes registrados no Geekbench informam as pontuações de quatro núcleos, sendo que o Apple Silicon usa quatro núcleos principais e quatro núcleos auxiliares, então os números finais não só podem, como provavelmente vão mudar.

O Apple Silicon será o processador desenvolvido internamente pela empresa de Cupertino para seus computadores pessoais, efetivamente "matando" a sua parceria de longa data com a Intel (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)
O Apple Silicon será o processador desenvolvido internamente pela empresa de Cupertino para seus computadores pessoais, efetivamente "matando" a sua parceria de longa data com a Intel (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

Para fins de comparação, o mesmo Geekbench mostra um Macbook Pro de 13 polegadas equipado com processador Intel Core i5-1038NG7 (1.200 no single core; 4.400 no multi core) sem emulação. Também nos comparativos, vemos um Mac mini (modelo do final de 2018) marcando 1.015 pontos no single core e 5.275 no multi core, também sem emulação de software.

Mesmo com esses números, é difícil determinar o real potencial dos novos Macs com processadores ARM. Os desenvolvedores que concordaram em receber o kit de desenvolvimento transicional para a nova arquitetura assinaram embargos que os proíbem de "exibir, demonstrar, capturar em vídeo ou fotografia, produzir qualquer desenho, gráfico ou renderizações ou tirar qualquer tipo de imagem ou medida bem como rodar publicamente qualquer teste de benchmark (ou permitir que outra pessoa faça qualquer um dos itens acima) salvo por autorização separada e por escrito da Apple”.

Concluindo: os números do Geekbench são decorrentes de um vazamento, então ainda vai demorar até que tenhamos métricas mais sólidas ou possamos avaliar o desempenho do novo processador rodando aplicações.

Fonte: Canaltech