Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.033,26
    +112,64 (+0,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Maçã iluminada pode voltar aos MacBooks, aponta patente

Entre os anos de 2006 e 2016, os MacBooks Air e Pro eram produzidos com retroiluminação na parte traseira, na seção que trazia a logomarca da Apple. Novas patentes registradas pela marca mostram que este recurso estético deve fazer seu retorno em breve, mas com uma tecnologia diferente.

Nova retroiluminação pode resolver problemas anteriores (Imagem: Patently Apple)
Nova retroiluminação pode resolver problemas anteriores (Imagem: Patently Apple)

A documentação cita um “espelho retroiluminado parcialmente reflexivo, que pode ser usado para formar uma logomarca ou outra estrutura em um dispositivo eletrônico”.

Ao mesmo tempo, é explicitada uma preocupação com o aparecimento dos componentes internos do dispositivo, já que o espelho poderia “entregar uma aparência brilhante, enquanto bloqueia componentes internos da visão [do usuário]”.

Por que a maçã iluminada foi retirada dos MacBooks

Marca registrada apareceu entre 2006 e 2016 nos MacBooks Air e Pro (Imagem: Divulgação/Apple)
Marca registrada apareceu entre 2006 e 2016 nos MacBooks Air e Pro (Imagem: Divulgação/Apple)

Mesmo que tenha sido uma característica marcante dos notebooks da Apple por bastante tempo, a iluminação na logo da Apple traz alguns problemas para a usabilidade dos dispositivos em momentos específicos.

Em alguns casos, a marca aparece na parte frontal do painel, afetando a visualização do display quando ele está sob luz do sol ou outra fonte intensa de iluminação. Isso acontece por conta de uma parte vazia cortada na estrutura metálica interna dos MacBooks, que causa um efeito indesejado e prejudica a precisão de cor dos displays.

Além disso, a integridade estrutural dos notebooks também é afetada por esta parte iluminada. Já foram registradas situações em que o painel foi entortado de forma relativamente frágil, causando também problemas graves na tela.

A Apple tem feito um esforço para tornar os MacBooks cada vez mais finos, especialmente na linha Air. A retroiluminação da logo também foi apontada como um obstáculo para este objetivo, o que reforçou o movimento pela retirada dela.

Maçã iluminada é obstáculo para o objetivo de oferecer notebooks cada vez mais finos (Imagem: Divulgação/Apple)
Maçã iluminada é obstáculo para o objetivo de oferecer notebooks cada vez mais finos (Imagem: Divulgação/Apple)

No mais, esta característica visual nunca teve uma funcionalidade propriamente dita — afinal, ela não mostra informações de uso do notebook, como nível de bateria ou a chegada de uma notificação, por exemplo.

Mais detalhes sobre esta nova retroiluminação podem ser revelados ao longo dos próximos dias, mas é provável que a Apple tenha resolvido alguns dos problemas referidos. Porém, até o momento a empresa ainda não fez nenhuma confirmação a respeito disso.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: