Mercado abrirá em 7 h 31 min

México teve recessão no 1º semestre e crescimento nulo no 3º

1 / 2
(Arquivo) O presidente do México, Andres Manuel Lopez Obrador

A economia mexicana entrou em recessão durante o primeiro semestre de 2019 após retrair 0,1% em cada um dos dois primeiros trimestres, e registrou crescimento nulo no terceiro, segundo dados oficiais revisados divulgados nesta segunda-feira.

Ao acumular dois trimestres consecutivos com cifras negativas, a economia mexicana atravessou o que se denomina de recessão técnica na primeira metade do ano, o que compromete as promessas de crescimento econômico feitas pelo presidente Andrés Manuel López Obrador.

O Instituto Nacional de Estatística (INEGI) publicou cifras revisadas do comportamento da economia e revisou em baixa o segundo e o terceiro trimestres, inicialmente registrados com expansão de 0,1% cada.

O PIB mexicano "não relatou variação em termos reais durante o terceiro trimestre de 2019 em relação ao precedente", aponta um comunicado do INEGI.

Nos dados preliminares, o segundo trimestre tinha registrado crescimento de 0,1% - depois revisado a zero e agora novamente revisado em baixa - e o primeiro com retração de 0,2%.

Nos dados revisados divulgados nesta segunda, o PIB em ambos trimestres registra recuo de 0,1%.

López Obrador chegou à presidência em dezembro de 2018 com o compromisso de ter um crescimento de 2% do PIB no primeiro ano que governo e expansão média de 4% nos seis anos de governo - mas esses resultados comprometem a meta.