Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.884,61
    -850,40 (-0,79%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.881,08
    -138,97 (-0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,81
    +1,31 (+1,59%)
     
  • OURO

    1.793,70
    +11,80 (+0,66%)
     
  • BTC-USD

    60.403,24
    -2.854,45 (-4,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.440,85
    -62,18 (-4,14%)
     
  • S&P500

    4.543,16
    -6,62 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    35.668,96
    +65,88 (+0,19%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.340,00
    -138,75 (-0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5544
    -0,0266 (-0,40%)
     

México recupera manuscritos de 500 anos, entre eles carta do conquistador Hernán Cortés

·1 minuto de leitura
Chanceler mexicano, Marcelo Ebrard

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A chancelaria mexicana anunciou nesta quinta-feira a recuperação de vários manuscritos do século XVI, inclusive alguns do conquistador Hernán Cortés, que estavam nos Estados Unidos, meses depois que um grupo de pesquisadores denunciou a retirada ilegal dos tesouros históricos do Arquivo Geral da Nação (AGN).

Por meio de uma prática aparentemente sistemática, 10 documentos foram roubados nos últimos anos da seção dedicada a Cortés no acervo e colocados à venda em várias casas de leilão norte-americanas como a Swann, Bonhams ou Christie's, segundo os especialistas, o que levou o México a iniciar uma investigação.

"Documentos históricos do século XVI, incluindo carta de Hernán Cortés, recuperados pelo gabinete do procurador-geral de Nova York e investigações do Departamento de Segurança Doméstica dos EUA", disse o chanceler mexicano Marcelo Ebrard, que está na cidade norte-americana, onde fica a maioria das galerias.

"Hoje (quinta-feira) foram entregues à SRE (Secretaria de Relações Exteriores do México) e colocados sob custódia do nosso consulado em Nova York para serem levados à CDMX (Cidade do México)", acrescentou o diplomata, que destacou que as peças "haviam sido vendidas ilegalmente".

Entre os manuscritos incluídos na denúncia havia um de 1521, que revela uma intriga política envolvendo Cortés, o famoso líder das forças espanholas que conquistaram o que hoje é o México, e que foi retirado pela casa de leilões Swann em Nova York quando seria colocado à venda há um ano.

Outros nove documentos de Cortés, verdadeiros tesouros para colecionadores e que quase nunca chegam ao mercado, foram vendidos em galerias dos Estados Unidos por dezenas de milhares de dólares, como denunciaram acadêmicos em 2020.

(Reportagem de Raúl Cortés Fernández)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos