Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.150,70
    -1.568,02 (-3,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

México enfrenta desafio de recuperação econômica heterogênea, diz presidente do BC

·1 minuto de leitura
Presidente do banco central do México, Alejandro Díaz de León

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O México enfrenta um "novo desafio" já que diferentes partes de sua economia irão se recuperar sob ritmos variados, com setores dependentes de exportação devendo liderar o percurso, disse o presidente do banco central do país, Alejandro Díaz de León, nesta segunda-feira.

A economia mexicana contraiu 8,5% em 2020, na recessão mais profunda em quase 90 anos, devido à devastação da pandemia da Covid-19. No entanto, a economia recuperou-se mais rápido do que inicialmente projetado no último trimestre de 2020.

"O novo desafio é que a atividade econômica e a recuperação serão heterogêneas, movidas por dois motores. O motor das vacinas... e o motor dos gastos fiscais que diferentes economias implementaram", disse Díaz de León.

O robusto pacote de alívio pandêmico de 1,9 trilhão de dólares nos Estados Unidos, principal parceiro comercial do México, provavelmente ajudará a impulsionar a recuperação da economia mexicana.

No ano passado, o componente mais importante para a recuperação da atividade econômica no México foi a demanda externa e o setor exportador, bem acima do consumo e do investimento, disse Díaz de León.

"E projetamos que este importante programa de gastos e estímulos nos Estados Unidos ajudará a demanda externa a continuar a desempenhar um papel importante" na recuperação econômica do México, acrescentou.

(Por Anthony Esposito)