Mercado fechado

México ainda não atingiu pico de infecções por covid-19, admite governo

Apesar da escalada do contágio, país iniciou a reabertura de sua economia na semana passada O México ainda atingiu o pico de infecções e mortes por covid-19 e espera continuar observando alta nos números relativos à pandemia por “várias semanas”. A avaliação é do subsecretário de Saúde, Hugo López-Gatell, responsável pela estratégia de combate ao novo coronavírus do governo do presidente Andrés Manuel López Obrador.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, ele afirmou que a curva da doença na região metropolitana da Cidade do México atingiu um platô e que as infecções estão começando a cair. No entanto, por ter grandes dimensões, o país vive diferentes fases da pandemia em suas diversas regiões.

Rebecca Blackwell/AP

Segundo López-Gatell, os gráficos regionais de infecção mostram que 24 dos 32 Estados do México registraram mais casos entre 26 de maio e 8 de junho do que entre nos 13 dias anteriores. “Se colocarmos as curvas epidêmicas juntas, nós ainda não atingimos o pico”, explicou.

No total, o país já registrou 120.102 casos confirmados da covid-19 e 14.053. No entanto, a baixa capacidade de testagem do país faz especialistas considerarem que os números oficiais estão subestimados.

Apesar de ainda não ter atingido o pico, o México iniciou a reabertura de sua economia na última semana. O país adotou um sistema de classificação das regiões por cores. A partir da avaliação das taxas de infecção, mais flexibilizações das medidas restritivas são permitidas.

No entanto, todos os 32 Estados ainda são considerados “áreas vermelhas”, o nível mais alto de restrição previsto no sistema.

Indústrias classificadas como essenciais podem funcionar, hotéis foram autorizados a operar com 25% de sua capacidade e restaurantes podem fazer entrega ou permitir que os clientes busquem os pedidos nos respectivos estabelecimentos.

O governo também autorizou a volta dos eventos esportivos, mas manteve a proibição relativa à presença de público.

Na última semana, o México registrou mais de mil mortes em um único dia pela primeira vez desde o início da pandemia. López Obrador se irritou com a imprensa e afirmou que as notícias eram alarmistas e irresponsáveis.